O que você é? Esboçador ou Randomizador?

kinga-cichewicz-544949-unsplash.jpg

Olá escritores!

Como você se define como escritor?

Como você escreve seu livro? Você tem uma ordem exata ou segue o fluxo da sua criatividade? Ou um pouco dos dois?

Na verdade existe uma nome pra isso e hoje vou te contar tudo e te mostrar como você pode fazer cada um de forma efetiva!

Esboçador (Outliner ou plotters)

Você precisa fazer um esboço do seu livro antes de escrevê-lo por inteiro? Você é um esboçador.

Mas como assim? Então, muitas vezes um esboçador precisa ter seu livro de forma visual ordenada e completa antes de escrever seu primeiro manuscrito.

É importante enfatizar que existem aquelas pessoas que entram nesse processo e não conseguem sair dele enquanto seu esboço não esteja perfeito. Tenha em mente que nenhum, NENHUM primeiro manuscrito é perfeito. O seu também vai ter falhas. Principalmente se é seu primeiro livro de que estamos falando.

Resumindo: esboçar é importante, mas não deixe de realmente escrever seu livro só porque falta um buraco em algum lugar. Deixando esses buracos, de lado e se focando em realmente escrever seu livro, às vezes te ajudara a achar com o que tampá-los mais rápido, e olha o mais importante: você terminou sua primeira obra ao invez de ficar perdendo tempo com detalhes! Parabéns!

Mas como esboçar? Muitos usam fórmulas de outros escritores para facilitar o processo de esboçar, uma tabela do excel talvez ajude (eu tenho uma, mas como sou muito visual tive que fazer de outra forma), fichas (amo fichas, foi o que eu fiz e recomendo a todos que são visuais como eu) com personagens principais, capítulos resumidos e as cenas que pertencem dentro do capítulo tudo num quadro bonito! Às vezes, você cria um processo todo seu e que dá certo. (se esse é o caso, divida com agente nos comentários abaixo)

Randomizador (Pantsers)

Se você só quer escrever, escrever, escrever… tem uma febre e não consegue sair do teclado, você é um randomizador.

Às vezes você escreve um pedaço do meio do livro, aí você volta para o começo, daí, você tem um sonho com o que vai ser o final e, escreve o final, ou então você decide que não tá nem um pouco a fim de escrever sobre a história em si, mas decide criar os mundos e personagens da história, e por ai vai. Trosso doido esse!

Geralmente são pessoas que deixam seu processo criativo em aberto para possibilidades, e sim são ótimos escritores. Dá certo! Mas pode ser que, se esse for seu primeiro livro, e se pegar rendomizando assim, pode ser que você se perca e aí no final você tem 25 histórias differentes dentro de uma totalmente aleatórios que não tem muito bem uma conecção e nem cabem dentro de um livro só. Você vai precisar de um esboço. Por menor e falho que seja.

O intuito de esboçar aqui não e para botar rédeas na sua liberdade criativa, mas somente para guiá-lo a um lugar coerente e com um começo, meio e fim (que são fundamentais para um livro, né?)

Um pouco dos dois

Eu especialmente me enquadro nesse, que também está bem. Às vezes você quer esboçar o começo, aí você escreve o meio, aí você esboça o meio, e então escreve o começo, esboça mais um pouco e mais palavras no papel.

É bem por aí mesmo.

Um problema para isso? Você se vê apagando textos inteiros por que um dia cabia muito bem na história, mas hoje: por que é que eu inclui esse texto aqui mesmo?

Deu pra entender?

Então se você é como eu, pense em parar para escrever um esboço básico, como por exemplo, eu uso fichas para fazer meu esboço e basicamente escrevo um resumo do capítulo que caiba em uma ficha e assim eu conecto com o capítulo seguinte e por aí vai.

Agora para na verdade escrever o capítulo eu o divido em cenas: pego a ficha com o capítulo e escrevo um resumo da cena nas fichas que vão caber dentro desse capitulo (tipo fazendo uma arvore, sabe?). Mas enquanto estou fazendo isso tô escrevendo uma parte do final do livro, ou as vezes pulo para o começo. Bem randômico mesmo, mas minha base tá lá, pra eu não perder o foco.

É isso ai gente!!!

E você!? O que você é? Deixe nos comentários o que você se considera e como você faz para não se perder (como eu as vezes faço), ou caso se tiver alguma duvida.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Falaremos de como os russos me ensinaram sobre linha do tempo! E como montar uma para sua história.

Dê vida aos lugares por onde seu livro passa. (Diário do Livro)

eugenio-mazzone-190204-unsplash.jpg

Feche os olhos um pouco… (pera aí… não vai dar certo isso) Abra seus olhos e as portas da imaginação e se veja neste lugar:

Levantei da cama com o susto, vi que o chão estava molhado. O barulho que ouvi do banheiro não foi pequeno, espero que não tenha acordado os vizinhos. Ainda com o coração correndo uma maratora, fui checar o estrago, mesmo molhando meus pés nessa água marrom. Que nojo. Me deparei com a privada jorrando bosta por todo banheiro.

Que nojo!!! Conseguiu se ver l? Espero que não por que… credo… ai… vamos mudar de assunto!

O que é um cenário?

Minha definição é: tudo que não envolva diálogo, nome de personagem e título é um cenário. Ou seja, o desenho que você pinta atrás do personagem, o background da história. O intuito do cenário é levar o personagem(ns) a efetuar uma ação ou um diálogo dentro de um determinado tempo e espaço.
Tem que fazer sentido para a época e o local em que você esta escrevendo.

Não adianta criar uma história no seculo XVIII e colocar lá um cara dirigindo uma ferrari (a não ser que ele tenha a possibilidade de viajar no tempo com ela. O que pode ser possível dentro de uma ficção)

Invista em entender a época/local em que você quer escrever. Pra isso exige muita pesquisa de campo. (não tanto, também)

Por que o cenário é tão importante?

O cenário é o quadro que você pinta para seus leitores adimirarem. Porém, não so apenas para contemplação, mas para a experimentação (essa palavra existe, né? se não adiciona aí no dicionário) também.

Um bom cenário é aquele lugar onde o leitor pode abrir a porta, sentar do lado do personagem e talvez até conversar com ele.

Mas não adicione muitos detalhes irrelevantes como por exemplo: qual que é a posição da cama? Em que parede fica a porta do banheiro, ou da saída? Quantos passos até o carro? Isso faz com que sua descrição se torne muito longa e chata para o leitor. Dê espaço para a imaginação e procure adicionar descrições pertinentes à história da cena.

Se seu personagem esta numa floresta e, do nada, ele vê um lago tranquilo e do lado do lago um altar pagão, sei lá, cheio de corpos em cima, isso já é descrição suficiente para seu leitor se interesar pelo cenário e não precisa saber as dimensões do altar nem a distância milimétrica dele do lago.

Seus cenários são reais ou não?

Por isso separar um espaço no seu diário só para essa parte.

Inclua imagens dos lugares por onde seus personagens vão passar. pesquise os costumes, a língua e atividades do local/época.

Por exemplo: se seu cenário é em São Paulo e seu personagem esta com o coração quebrado e quer esquecer os seus problemas, pra onde você acha que ele vai? (eu diria barzinho, pra afogar as máguas. Não tem coisa melhor para um personagem, né?)

Se eles não forem reais, qual é a base que vai usar para seu cenário fictício? Quais são as comidas naturais, nomes de lugares, língua usada, características do personagem. Inclua imagens psicodélicas que façam sua imaginação fluir melhor para descrever algo incomum para o leitor. (Incomum com um “Q” de comum)

O que considerar num cenário/cena?

Quando preparado para escrever seu cenário pense em usar os sentidos do seu leitor para trazê-los à vida.
Use visão para descrever o que seu personagem vê.

Mas não se preocupe muito com delalhes como, “a cadeira estava no canto esquerdo do quarto, virada para parede”, a não ser que você queira dar um suspense do tipo: ” o quarto estava todo escuro com apenas a cadeira no canto esquerdo, virada pra parede e sentado nela estava uma sombra”. A cadeira fez sentido para o segundo exemplo, pois o cenário da sua história girava entorno dela.
Use olfato para descrever o cheiro que o personagem sente em um cenário.

Se seu personagem está no meio de uma floresta, qual é o cheiro que ele sente no local? “Enquanto, perdido na noite da floresta, senti cheiro de fumaça. Alguém estava por perto.”

Ou continuando com o exemplo usado para a visão: “Enquanto paralisado em frente àquela sombra, senti cheiro de morte”.
Use a audição para descrever os sons do local.

Se você ta na cidade, é claro que vai ouvir barulho de carro, conversas e talvez bagunça.

Ou talvez a falta de som seja uma descrição também: “o quarto estava todo escuro e o silêncio era ensurdecedor.”
Use o paladar para descrever o gosto das coisas.

Se seu personagem sem querer engole água do mar, você poderia dizer: “foi como engolir a seco um copo de sal”.

Se seu personagem passou mal, descreva o gosto ruim da sua boca. Ou se ele esta discutindo com alguém de forma bem agressiva, você pode dizer que sua boca estava seca de tanto falar e dava pra sentir o gosto da azia por causa do nervoso, ou a amargura que sentia na boca depois de ouvir umas verdades.
Por fim, use o tato para descrever a sensação que seu personagem tem em contato com algo.

Se seu cenário é numa praia, descreva a sensação que é ter os pés cheio de areia entre os dedos, ou se um bicho bem nojento cair da árvore e em cima do seu personagem, qual é a sensação que ele teve quando o bichinho cheio de patas, entrou debaixo de sua roupa e desceu pela sua espinha. (Uiuiui)

Usando aquele primeiro exemplo da cadeira de novo (gostei do meu exemplo assustador): ” em um instante a sombra estava diante de mim e agarrou o meu pescoço com sua mão gélida, me fazendo tremer por inteiro.”

Ponto de Vista

Qual é o personagem ou ação em questão na cena? Se sua hisria for dirigida por personagens considere um ponto de vista em primeira pessoa. Ou se você quer focar na ação da história e não um personagem pense em usar o ponto de vista em terceira pessoa onisciente.

Qualquer tipo de ponto de vista que você decidir para sua história ajudará seu leitor a abrir a porta da imaginação para a realidade.

Falaremos mais pra frente sobre quais são os tipos de pontos de vista e de como usá-los.

Então, caprichem nesse espaço separado especialmente para juntar informações sobre os locais dos quais irá falar. E use também esse espaço como um exercício de escrita usando diversos sensos e pontos de vistas para descobrir qual se encaixa melhor na sua obra.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Vamos falar sobre formas de escrita como Esboçar e Randomizar. Suas diferenças e em qual você se enquadra melhor! Até lá!

Escreva feliz!

Dê um Myers Briggs ao seu Personagem. Parte III (Série diário do livro)

Olá Escritores!

Semana passada começamos a falar a respeito de aspectos para a criação de um personagem profundo.

Hoje vamos matar esse assunto com os dezeseis tipos de personalidades Myers Briggs, com exemplos.

Mas o que é Myers Briggs?

O MBTI foi uma ferramenta criada por Isabel Briggs Myers e sua mãe, consistindo em identificar os tipos psicológicos indicando aspectos de personalidade com o intuito de proporcionar o auto-conhecimento através dos pontos fortes e fracos de uma pessoa, a fim de trabalhar no desenvolvimento pessoal, profissional e individual de cada um.

A maioria das informações abaixo, foram retiradas deste site aqui. Eles também tem um teste de personalidade gratuito para os curiosos saberem qual é seu tipo de personalidade. (muito legal, eu fiz e foi bem efetivo – inclusive me ajudou a entender várias coisas doidadas que eu faço – kkk)

Agora que você já sabe o que é essa bagaça, sem mais delongas aqui estão os 16 tipos de personalidades:

(Se voce não teve oportunidade de ler quais são os tipos de aspectos usados na ferramenta, leia o artigo da semana passada aqui!)

ISTJ – Introvert Observing Thinking Judging (Introvertido Observador Pensativo Julgador) “O Cumpridor” ou “O Logístico”

Conhecidos como pessoas sérias, quietas, extremamente minuciosas, organizadas, responsáveis e confiáveis. Normalmente apoiam tradição e estabilidade. Trabalham intensamente para cumprir suas metas. São também conhecidos como pessoas a estabelecer regras e diretrizes, não improtando se para o bem ou mal. Detestam indecisão, preguiça, falta de honestidade e perdem a paciência rapidinho se a tarefa a fazer contém informações inconclusivas. Preferem a autonomia e autosuficiência ao confiar em algo ou alguem.

Relacionamento: Parceiros que dividem o aspecto Observant (S) são bem compatíveis AnthonyHopkinscom a personalidade ISTJ, que também tenham um ou dois aspectos opostos para criar um balance, como parceiros com aspectos Extraverted (Extrovertido) ou Prospecting (Prospectivo).

No trabalho: trabalhos como contadores, auditores, analistas de dados, gerentes financeiros, administradores de empresas e até médicos enquadram no perfil do ISTJ. Preferem trabalhar sozinhos, mas se trabalho em grupo for necessário, preferem que cada um do grupo tenha sua própria responsabilidade individual.

Pessoas como Denzel Washington, Anthony Hopkins, George Washington e George W. Bush são pessoas que se enquadram no perfil desta personalidade.

ISTP – Introvert Observant Thinking Prospecting (Introvertido Observador Pensativo Prospectivo) “O Mecanico” ou “Virtuoso”

Quietos e reservados e interessados em saber como e por que as coisas funcionam do jeito que funcionam. Tomam riscos, pois vivem do momento. São interesados ou praticam esportes radicais. É fácil entender o que querem. Fiéis a colegas de trabalho e ao seu próprio sistema de valores, mas não se preocupam tanto em respeitar leis e regras, se essas o atrapalharem a cumprir uma tarefa. Não são analíticos e se sobressaem em encontrar soluções práticas para problemas.

tom-cruiseRelacionamentos: Os melhores parceiros normalmente dividem o aspecto Observant (Observador), com um ou dois aspectos opostos como Extraverted (Extrovertido) or Judging (Julgador), para ajudar a explorar um mundo que involvem outras pessoas e outras expectativas. São pessoas frias e difíceis de se apegarem a alguém, mas por outro lado são cheios de paixão e espontaneidade. Se o parceiro der a ele o espaço de que ele precisa para ser ele mesmo, o ISTP pode até aceitar a estabilidade de uma vida em casal.

No trabalho: Com sua curiosidade de querer saber como as coisas funcionam e o fato de querer realizar tarefas com as próprias mãos, ISTPs formam ótimos mecânicos, engenheiros, designers gráficos e cientistas forenses.

Tom Cruise, Michael Jordan e os personagens Indiana Jones e James Bond se enquadram nesse perfil de personalidade.

ISFJ – Introverted Observant Feeling Judging (Introvertido Observador Sensitivo Julgador) “O cuidador” ou “Defensor”

Quietos, bondosos, conscientes, estáveis e práticos. Você pode depender dele para horas difíceis. Normalmente colocam a necessidade dos outros acima de suas próprias necessidades. Dão valor a segurança e tradição. Tem um senso de espaço e função bem desenvolvidos. Perseptivos aos sentimentos dos outros. Sempre interessados em servir.

beyonceRelacionamento: São pessoas tímidas e com uma barreira sentimental que encobrem sentimentos imensos. ISFJ precisa de alguem que o forçe a relaxar e se importar com seu próprio bem estar, a se preocupar menos e seguir com o fluxo. Um bom parceiro é aquele que divide o aspecto Observant (Observador), com um ou dois outros aspectos opostos para assegurar que os dois tenham espaço para crescer, se desenvolver e ajudar um ao outro até que a morte os separe.

No trabalho: Como ISFJ estão sempre as ordens, carreiras que os atraem são de enfermeiros, professores de ensino fundamental, trabalhadores sociais e religiosos. As vezes, o desejo de ajudar a outros é tão grande que é comum encontrar ISFJs voluntariando e ajudando em abrigos comunitários, destribuição de comida e em escolas.

Valle Barry, Rainha Elizabeth, Beyoncé, Van Diesel são exemplos de pessoas com este tipo de personalidade.

ISFP Introverted Observant Feeling Prospecting (Introvertido Observador Sensitivo Prospectivo) “O artista” ou “Aventureiro”

Quietas, sensíveis, fiéis, leais e bondosos. Não gostam de conflitos, e não gostam de fazer coisas que geram conflitos. Tem os sentidos extremamente bem desenvolvidos e apreciam estética. Não estão interessados em liderar ou controlar outros. São flexíveis e mente aberta. Preferem ser originais e criativos. Gostam de aproveitar o presente momento.

michael jacksonRelacionamento: bem emotivos, porém preferem ouvir o próximo do que expor essa emoção. Não são bons estrategistas, então deixam lógica e estratégia com o parceiro. Adoram surpreender seus parceiros de forma divertida. Não gostam de ser forçados a fazer nada e exigir um relacionamento longo dele pode assustá-lo.

No trabalho: Sucesso, poder, estrutura e segurança estão fora do dicionário de um ISFP quando se trata de trabalho. Eles preferem ter liberdade criativa e expresar-se através da arte. São ótimos atletas, freelancers e consultantes.

Kevin Costner, Avril Lavigne, Mihael Jackson, Britney Spears, Lana Del Rey são algumas pessoas que podemos chamar de personalidade artística. (Que coisa, não?)

INFJ – Introverted Intuitive Feeling Judging (Introvertido Intuitivo Sensitivo Julgador) “O Protetor”

Também são quietos (todos com o aspecto introvertido geralmente são), originais, e sensíveis. Tendem a fixar em uma tarefa até que ela seja cumprida. Intuitivos com relação a outras pessoas e seus sentimentos. Tem um sistema de valores dos quais seguefoto___madre_teresa cegamente. Respeitados por sua perseverança em tomar a atitude correta. Individualistas. Não lideram, nem tendem a segir nunguém.

Relacionamento: levam o processo de encontrar a sua outra metade bem a sério, buscando um sentido profundo dentro de um relacionamento. Perfeccionistas e exigentes podem esgotar a paciência de qualquer parceiro. INFJ não tem medo de demonstrar seu amor.

No trabalho: profissões com concelheiros, psicologos, médicos, guias espirituais são posições atraentes.

Martin Luther King, Nelson Miranda, Madre Teressa, Alanis Morissette, Morgan Freeman se enquadram nesse tipo de personalidade.

INFP – Introverted Intuitive Feeling Prospecting (Introvertido Intuitivo Sensitivo Prospectivo)“O idealista” ou “Mediador”

Quietos, refletivos e idealistas. Interessados em servir a humanidade. Sistema de valores bem desenvolvido e na qual não tem problemas em seguir. Extremamente fiél. Só se Tolkienadapta caso algum de seus valores é ameaçado. Normalmente são escritores talentosos. Uma mente rápida e aberta para ver possibilidades. Interesados em entender e ajudar pessoas.

Relacionamento: INFP são idealistas em busca do par perfeito (meeeesmo), e isso é algo que ninguém nunca vai achar (né?), então os INFP tem que reconhecer de que ninguém e perfeito para conseguir se relacionar bem. Tem aversão a conflito, mas fazem de tudo para serem o parceiro perfeito.

No trabalho: é dificil (mais do que qualquer outro tipo de personalidade), para o INFP encontrar uma carreira que o satisfaça. Sonham em se tornar escritores. Posições como bloggueiros, línguas e expressão escrita podem satisfazer (um pouco).

William Shakespier, J.R.R. Tolkien, Jonny Depp, Julia Roberts são pessoas que se enquadram nesse tipo de personalidade.

INTJ – Introverted Intuitive Thinking Judging (Introvertido Intuitivo Pensativo Julgador) “O cientista” ou “Arquiteto”

Independente, original, analítico e determinado. Tem uma habilidade exepcional de transformar teorias em planos de ações sólidos. Valoriza o conhecimento, competência e estrutura. Anseiam dar um propósito para suas visões. Pensam a longo prazo. Estabelecem padrões altos para seu próprio desempenho e também para os dos outros. Arnold Schwarzenegger out and about, London, UK - 07 Dec 2017Líder nato, mas se tiverem confiança em um líder, o seguem também.

Relacionamento: INTJs gostam de indentificar parceiros potenciais que se enquadram de certa forma em sua lista de pre-determinações, divide o processo de namoro em etapas onde cada encontro e alcançado alguma meta para depois poder ser executado seu plano com uma visão e presisão clínica, que é a de um relacionamento de longo termo. O parceiro tem que dividir o mesmo aspecto intuitivo (N), pois esse aspecto traz o senso mútuo de pertencer e ser pertencido.

No trabalho: INTJs preferem posições onde trabalham sozinhos, como mecânicos, engenheiros de softwares, advogados e consultantes.

Christopher Nolan, Elon Musk, Arnold Schwarzenegger, Vladimir Putin, Michelle Obama se enquadram nesse perfil de personalidade.

INTP Introverted Intuitive Thinking Prospecting (Introvertido Intuitivo Pensativo Prospectivo)“O pensador” ou “O lógico”

Lógico, original e pensadores creativos. Se animam com teorias e idéias. São excepcionais em transformar teorias complexas em algo fácil de se entender. Valorizam o conhecimento, competência e lógica. Quietos e reservados, difícil de se conhecer bem. Individualistas, não tem interesse nem em liderar e nem seguir um lider.

einsteinRelacionamento: INTPs adoram dividir seus pensamentos com outros e quando finalmente encontram alguém para ter penamentos românticos apropriados à ocasião, tornam-se animados, entusiasmado e até brincalhões, usando jogos de palavras e jogos intelectuais como flerte. 

No trabalho: Matemática, analistas de sistemas, e carreiras em ciências, especialmente em áreas como Física são posições onde um INTP se enquadra bem. Existem muitas outras carreias que permitem ISTPs a explorar seus interesses, mas muitos deles estão fundamentadas na prática de aplicações que não os interessam.

Exemplos: Bill Gates, Ellen Page, Albert Einstein, Isaac Newton são exemplos que se enquadram nesse tipo de perfil.

ESTP – Extraverted Observant Thinking Prospecting (Extrovertido Observador Pensativo Prospectivo) “O cumpridor” ou “Empreendedor”

Amigável, adaptável, orientado com ações. São os que fazem as coisas acontecerem e focados em resultados imediatos. Vivendo no aqui e agora, tomam riscos, pois são adeptos a um estilo de vida acelerado. Impacientes com explicações longas. Extremamente fiéis aos colegas de trabalho, mas normalmente não respeita regras e leis que interrompem-o de concluir o que querem. Exelente habilidades para lidar com pessoas.

Relacionamento: querem viver o aqui e agora, deixando de lado coisas como eddie murffyplanejamentos para “o grande dia”. São parceiros que adoram entreter o outro com vários tipos de atividades emocionantes que são pra lá de entusiásticas. Detestam se sentir entediados. Buscam realizar os desejos do outro na cama (ui), porém separam o sexo da conecção emocional e espiritual, o que pode ser um problema para o seu parceiro entender, se os dois não estiverem na mesma página.

No trabalho: quando se trata de uma carreira “ação” é a palavra chave. Essa inteligência social, combinados com a coragem natural e habilidades de improviso de um ESTP, faz com que áreas de vendas, negociações de empresa, marketing, e até atuar – qualquer ambiente tenso e competitivo – ótimas posições para eles.

Exemplos: Eddie Murphy, Madonna, Bruce Willis, Michael J. Fox se enquadram nessa personalidade.

ESTJ Extraverted Observant Thinking Judging (Extrovertido Observador Pensativo Julgador) “O guardião” ou “Executivo”

Prático, adeptos a tradição, e organizados. É provavel de serem atléticos. Não são interesados em teorias e coisas abstratas a não ser que vejam uma aplicação prática. Tem uma visão clara de como as coisas tem que ser. Fiél e trabalhador. Gosta de estar no comando. Capacidade exepcional de organizar e coordenar atividades. “Bom cidadão” Frank_Sinatraque valoriza uma vida segura e pacífica.

Relacionamento: Pelo fato de valorizarem honestidade e serem simples e diretos, pessoas que carregam a personalidade ESTJ são pessoas a serem claras a respeito delas mesmas, o que gostam e suas metas desde o começo de um relacionamento e mantém seus idéais até o final, tornando-os parceiros estáveis para um relacionamento a longo prazo. São pessoas com princípios fortes e autoconfiança e usam essas qualidades para protejer seu parceiro com uma consistência adimirável.

No trabalho: Esse tipo de personalidade quase sempre acabam em trabalhos onde tem a oportunidade de exercer sua afinidade por organização e estrutura. Aplicação da lei, serviços militares, hospitais e firmas de legalizações importantes conseguem reconhecer os longos anos de serviço de um ESTJ.

Sonia Sotomayer, John D. Rockefeller, Frank Sinatra, James Monroe se enquadram nesse perfil de personalidade.

ESFP – Extraverted Observant Feeling Prospecting  (Extrovertido Observador Sensitivo Prospectivo) “O artista”

Super social e ama diversão, tornam tudo ao seu redor mais divertido para os outros. Vivendo o momento, amam novas experiências. Não gostam de teorias e análises impessoais. Interessados em servir ao próximo. Adora se sentir o centro da atenção em situações sociais. Senso comum bem desenvolvido e prático.

Relacionamento: ESFPs são sociais, parceiros divertidos, com espirito livre que vivem o marilyn-monroemomento e espremem animação até a última gota de tudo que fazem. Claro que, quando a animação acaba, é pra sempre. ESFP reavaliam sua situação e compromissos constantemente, negligenciando a dedicação e o amor de antes. Altamente sensíveis, ESFP respondem muito mau a sugestões de fora de como eles devem gerenciar seus relacionamentos amorosos.

No trabalho: ESFPs tem uma qualidade única que os fazem exepcionais em algumas carreiras e miseráveis em outras: eles espelham a emoção a sua volta. Essa personalidade são artistas natos, planejadores de eventos, representante de vendas, planejadores de viagens e guias turísticos. São brilhantes em carreiras médicas, especialmente em emergência, paramédicos, e enfermeiros. São super criativos e conseguem construir uma carreira gratificante em áreas da música, moda, fotografia e design de interiores.

Exemplos: Adele, Marlilyn Monroe, Jamie Foxx, Miley Cyrus são pessoas com esse tipo de personalidade.

ESFJ – Extraverted Observant Feeling Judging (Extrovertido Observador Sensitivo Julgador) “O cuidador”

Caloroso, popular, e consiênte. Tende a colocar a necessidade dos outros na frente de suas próprias necessidades. Tem um senso forte de responsabilidade e dever. Valorisa tradições e segurança. Interessado em servir o próximo. Precisam de um reforço positivo para se sentirem bem consigo mesmo. Senso bem aprimorado de espaço e função.

Jennifer_LopezRelacionamento: Leva cada estágio do relacionamento seriamente. Saber que são amados e respeitados tem um impacto muito grande no humor e autoestima de um ESFJ. Se ao invés do suporte que precisam, ouvirem críticas, um ESFJ pode se sentir extremamente ferido (emocionalmente). Detestam conflitos e críticas, o que faz ser difícil tratar de assuntos problemáticos. Tendem a ser extremamente carentes, comprometendo seus próprios valores e princípios em troca da aprovação do parceiro, levando a um relacionamento emocionalmente abusivo.

No trabalho: Carreiras como adiministradores e contadores pessoais possibilita a um ESFJ a organizar não só o ambiente, mas também, as pessoas. o exelentes provedores na área médica e social. Ensinar é outra opção boa. Trabalho religioso e a área de aconcelhamento são particularmente recompensador.

Bill Clinton, Taylor Swift, Danny Glover, Jennifer Lopez se enquadram aqui.

ENFP – Extraverted Intuitive Feeling Prospecting (Extrovertido Intuitivo Sensitivo Prospectivo) “O Inspirador” ou “Acompanhador”

Entusiástico, idealista e criativo. Capaz de fazer qualquer coisa que os interessa. Ótimas habilidades com pessoas. Desejam viver suas vidas de acordo com seus valores internos. Animados por idéias novas, mas se entedia com detalhes. Mente aberta e flexível, com uma vasta variedade de interesses e habilidades.

Relacionamento: ENFPs levam seu relacionamento amoroso a sério, e são conhecidos por MichaelScottsua devoção imutável e desinibida às pessoas das quais comprometeram seus corações. Relacionamentos a longa distância são bem comuns para um ENFP que vê a distância física como somente outra idéia, dando-os uma chance de provar seu comprometimento, seja por permanecendo verdadeiro apesar da distância ou demonstrando esforço em passar por sima da distância surpreendendo seus parceiros. Sua expontaneidade traz a dificuldade de manter-se focado na meta de relacionamento a longo prazo, o que, se o parceiro não conseguir entender, pode se tornar um obstáculo.

No trabalho: Engenharia, análise de sistemas e a área de ciências, da a um ENFP a habilidade de combinar rede e estilo de comunicação da sua audiência, fazendo o explorar novos desafios por conta própria. ENFP pode ter uma carreira sólida em área de humanas, psicologia, aconcelhamento, política, diplomacia e trabalho de detetive. Todas essas áreas de trabalho tem algo em comum: desenvolvimento constante.

Robert Downey Jr., Will Smith, Robin Williams, Quentin Tarantino, Kelly Clarck e (meu favorito) Michael Scott da série “The Office” (se você gosta de umas boas risadas, é recomendadísimo) fazem parte desse perfil.

ENFJ – Extraverted Intuitive Feeling Judging (Extrovertido Intuitivo Sensitivo Julgador) ” O doador” ou “o protagonista” 

Uma pessoa popular e sensível, com imensa habilidade com pessoas. Focado,  com uma real preocupação com o que outros pensam e sentem. Não gostam de estar sozinhos. Vêem tudo pelo ângulo humano, e não gosta de análises impessoais. Muito eficiente para gerenciar problemas das pessoas, e liderando discuções de grupo. Interessado em servir e provavelmente coloca a necessidade do outro sob sua própria.

IMG-20181216-WA0065Relacionamento: ENFJ leva namoro e relacionamentos à sério, e escolhem parceiros com foco para a vida toda. ENFJ gostam de chacar o pulso do relacionamento perguntando como estão as coisas e se tem algo que eles podem fazer. Eles tem a tendência de evitar conflitos mesmo que sacrificando seus próprios princípios para manter a paz.

No trabalho: carreias altruístas como trabalhos sociais, religiosos, ensinar, aconcelhamento. São ótimos administradores, coordenadores de eventos e politicos natos.

Eu (kkk), Barak Obama, Oprah Winfrey, John Cusack, Ben Affleck, Demi Lovato, enquadram-se aqui.

ENTP – Extraverted Intuitive Thinking Prospecting (Extrovertido Intuitivo Pensativo Prospectivo) ” O Visionário” 

Criativo, com recursos variados, e rápido no pensar. Bom em várias coisas. Gosta de debater problemas, com tendência de se sentir superior à todos. São animados por projetos e idéias novos, mas negligencia aspectos de rotina da vida. Geralmente sinceros e asertivos. Gostam de companhia e fazem um papel estimulante. Exelente habilidade Tom-Hankspara entender conceitos e aplica lógica para encontrar soluções.

Relacionamento: Para pessoas com o tipo ENTP de personalidade crescimento é chave. Testam os limites de seus parceiros para o potencial de crescimento, empurrando limites e tradições, buscando mentes abertas e espontaneidade. Enquanto o vigor de um ENTP pode ser atrativo, ele também pode cansar os parceiros mais paciêntes.

No trabalho: Empreendedorismo, atuação e fotografia podem ser áreas de interesses. No entanto que o ENTP seja honesto consigo mesmo com respeito aos seus pontos fortes e fracos, eles podem se sobressair na maioria das carreias que precisam de uma nova linha de pensamento. São advogados, psicologos, analistas de sistemas e cientistas brilhantes.

Adam Savage, Mark Twain, Tom Hanks, Thomas Edison, Celine Dion se enquadram nesse perfil.

ENTJ – Extraverted Intuitive Thinking Judging (Extrovertido Intuitivo Pensativo Julgador) ” O Executivo”

Assertivo e sincero, são lideres natos. Excelente habilidade para entender problemas organizacionais difíceis e criar uma solução sólida. Inteligentes e bem informados, normalmente se sobressai com falar em publico. Valorizam conhecimento e competência, e tem pouca paciência para ineficiência ou desorganização.

stevejobsRelacionamento:  O tipo de personalidade ENTJ estão dentro de um relacionamento para ganhar, e tem prazer em assumir um papel de liderança no relacionamento desde o começo, assumindo uma responsabilidade pessoal de quão bem as coisas vão e trabalhando ativamente para asegurar uma experiência mutuamente gratificante. ENTJ mantém foco em relancionamentos para o longo prazo, e se eles determinam que o relacionamento não vai a lugar nenhum, eles cortam o relacionamento e movem para outro deixando o parceiro com um termino abrupto da atenção que costumava receber.

No trabalho: Nenhum outro tipo de personalidade é tão preparado e respeitado para liderar uma organização ou time como um ENTJ, e nenhum outro tipo de personalidade gosta tanto de liderar como ele. Tornando-o um exelente estrategista corporativo, e sua objetividade e clareza no pensar os tornam advogados e juizes respeitáveis.

Steve Jobs, Harrison Ford, Jim Carry, Franklin D. Roosevels se enquadram aqui.

 

São Só Dezeseis

Mas muita informação, que enriquece o personagem e muito. Se quiser saber mais a respeito dos tipos de personalidades, visite esse site. Eles tem páginas e páginas descrevendo cada uma delas e um teste gratuito também (para aqueles em busca de sua própria personalidade)

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Vamos comecar a falar sobre lugares. Como dar vida aos seus cenários e como criar uma descrição nota 1000!

Até a próxima e escreva feliz!

Criando um Personagem Profundo. Parte II (Série diário do livro)

rawpixel-760030-unsplash.jpgBom dia, boa tarde, boa noite a todos!

Hoje, o assunto é: personalidade!

Nós como pessoas únicas interagimos com o mundo ao nosso redor de forma única. Nossos personagens tem que agir da mesma forma, conectando assim, o mundo fictício com a realidade do leitor.

Segue abaixo alguns pontos a considerar para criar um personagem forte, além do que já conversamos no post passado (Se você não teve a oportunidade de ler o post passado clique aqui!):

  • Desenvolva hábitos fortes. Para criar um personagem forte, considere adicionar um hábito pessoal que conecte com seu leitor. Roer unha, escrever em um diário, falar sozinho, uma frase que sempre usa.
  • Crie princípios e valores. Considere uma voz para seu personagem que inspire outros e que conecte com o grupo de leitores que escolher. Por exemplo um personagem que nao come produtos animais (vegano), ou até princípios como sexo antes do casamento.
  • Desenvolva uma atitude positiva. Todo personagem tem dois lados de uma moeda: pesimismo e otimismo; mas mesmo pendendo para um dos lados, crie personagens que, no fundo, lá dentro, só querem ser felizes, seja fazendo o bem ou o mal.
  • Desenvolva em cada pesonagem um conjunto de metas de longo e curto prazo. Simples, né? O que seu peronagem quer agora, semana que vem e daqui a um ano (ou dez)?
  • Incite paixão e excelência em todas as tarefas que ele realizar. E faça disso um hábito. Ou, pelo menos, que o personagem tenha como meta incorporar como hábito. Um desejo de ser melhor no que faz, ser melhor para o mundo, seja para o bem ou mal. Um exemplo recente é Thanos, o vilão em Avengers infinity war, que mostrou perfeição em destruir metade da existência no universo. Não só isso, mas ele tinha uma razão para fazer tudo aquilo, ele acreditava em ser o salvador do universo apesar do alto preço.
  • Faça seu personagem aproveitar a vida dele ao máximo. Permita que ele ria, grite, chore, doa a quem doer, que ele seja genuinamente feliz. Descubra o que faz seu personagem feliz: é conquistar o mundo? ou, meter o nariz nos livros? ou, como pretende fazer com que seu personagem desfrute de uma vida na mentira?
  • Crie um peronagem proativo. Qual o tipo de legado que vai deixar para o mundo? Como seu personagem se antecipa para resolver conflitos? Como ele age quando ele pensa fora da caixinha?

Parece um monte de lições de auto ajuda. Mas é mesmo! Hahaha!

São dicas como essas que nos tornam quem somos hoje. Por isso, sua importância para se criar um personagem profundo. Claro que ninguém é perfeito, eles também não são.

Todos os personagens devem ter um pouquinho de cada ponto acima. Uns mais que outros, mesclados com a bagagem de vida, crenças e aspectos de personalidade que juntas formam o que são. O mais perto da realidade de um ser humano.

Os 5 Aspectos da Personalidade

Esses aspectos quando combinados formam um dos 16 tipos de personalidade do Myers Brigs. Cada aspecto tem dois lados, dando o total de 10 aspectos diferentes.

Antes de falar sobre o que é a teoria de Myers Brigs e suas personalidades (vou deixar esse tema pra semana que vem pra não ficar muito longo), vamos ver o que são esses aspectos.

Mente

Esse aspecto mostra como você (ou seu personagem) se interage com o mundo ao seu redor.
Introverts (Introvertidos) são indivíduos que preferem atividades solitarias e se cansam fácil com interações socias. Tendem a ser sensíveis a estimulação externa como, audição, visão e olfato.
Extroverts (Extrovertido) são indivíduos que preferem atividades em grupo e se animam com interações socias. São entusiástica e são mais animadas que os introvertidos.

E provável que essa noção introvertido versus extrovertido, seja uma das mais antigas na história da teoria de personalidade.

Natureza

Esse aspecto determina como tomamos decisões e como lidamos com emoções.
Thinking (Pensativo) indivíduos que focam na objetividade e racionalidade, priorizam lógica sob emoções. Tendem a esconder seus sentimentos e vêem eficiência como mais importante do que cooperação.
Feeling (Sensitivo) são indivíduos sensíveis e emocionalmente expressivos. Mais empáticos e menos competitivos do que o tipo Pensativo, e focam-se em harmonia social e cooperação.

Enquanto todos nós temos emoçõcoes, há diferenças significantes de como reagimos a elas e de como essas decisões interagem com nossa vida.

Identidade

Esse aspecto nos diz como nós avaliamos nossa autoconfiança em nossas habilidades e tomadas de decisões.
Assertive (Acertivo) pessoas autoconfiantes, calmas e resistentes ao stress do dia-a-dia. Recusam a se preocupar com as coisas em demasia e não se esforçam ao limite quando o assunto é alcançar metas.
Turbulent (Turbulento) pessoas autoconscientes e sensíveis ao estress. São prováveis de experienciar uma variedade de emoções e de serem guiados pelo sucesso, perfeccionistas e sempre querem melhorar suas habilidades.

Tático

Esse aspecto reflete nossa abordagem com relação ao trabalho, planejamento e a tomada de decisões.
Judging (Julgador) são pessoas decididas, minusiosas e altamente organizadas. Valorizam clareza, previsibilidade e conclusões de casos. Preferem estrutura e planejamento à espontaneidade.
Prospecting (Prospectivo) são ótimos com improviso e encontrar oportunidades onde não há. São mais flexíveis, tranquilos e inconformistas que preferem sempre manter seu leque de opções em aberto.

Energia

Determina como vemos o mundo e processamos sua informação.

Obsetvant (Observador) são indivíduos práticos, pragmáticos e pés-no-chão. Tem hábitos fortes e se focam no que esta acontecendo ou no que já aconteceu.

Intuitive (Intuitivo) são indivíduos que usam muito sua imaginação, são curiosos e mente aberta. Preferem o novo ao estável e se focam em significados ocultos e possibilidades de futuro.

Desenvolver uma personalidade única para cada personagem, é muito trabalhoso. Por isso to tentando deixar tudo mastigadinho pra vcs! 😉

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Vamos terminar falando sobre personagens e os 16 tipos de personalidades, suas qualidades, defeitos, como são na vida amorosa e em um ambiente de trabalho (com exemplos também).

Me Conta como Mostrar.

william-montout-327164-unsplash

Hoje é o meu aniversário! Parabéns para mim!!!!!

Meu maior presente é poder escrever para vocês! Com isso quero deixar um post extra de presente!

Como contar uma história e prender a atenção do seu leitor de uma forma que ele consiga enxergar como se ele fosse um dos personagens.

Como fazer seu leitor experimentar os cheiros, gostos, ações, pensamentos e sentimentos de uma forma pessoal?

Espero que algum mentor de escrita seu já tenha te falado sobre a técnica de escrita da qual vamos falar: Mostre, não Conte. (Show, don’t Tell)

É uma técnica usada para descrever um personagem ou local, mostrando uma cena (onde o leitor entra e explora) versus contando uma cena (onde o leitor só escuta, ou melhor dizendo lê).

Mas será que isso é realmente importante para seu livro? Pode apostar que sim. Essa técnica não vai somente atrair mais leitores, mas também vai enriquecer sua escrita e atrair os olhares atentos de publicadores e agentes de publicação.

Então quero dar algumas dicas para aprimorar seus conhecimentos de Show, don’t Tell! Com exemplos!

Qual é a diferença entre contar e mostrar?

Mostrar é usar um conjunto de palavras para ajudar o leitor a imaginar a história e seus eventos. Contar, se baseia em expor idéias de forma direta para o leitor.

Dizer que seu personagem é “alto”, esta “cansado”, é “bonito” ou “feio”, esta “concentrado”, é contar ao seu leitor como ele é ou esta.

E para mostrar ao seu leitor, por exemplo, que seu personagem é bonito, ao invés de usar o adjetivo, você pode fazer seu leitor tirar essa conclusão sozinho dizendo:

“Por todo lugar onde passava, pessoas olhavam para ele com a boca semiaberta e salivando”, ou “por onde passava, olhares de curiosos e asuvios eram ouvidos, deixando-o envergonhado”.

Você esta dizendo que ele é um Deus grego, mas sem usar adjetivos para isso.

Ao invés de dizer que seu personagem esta cansado. Tente mostrar aos leitores sua expressão facial e corporal, dizendo: “seus ombros quase encostavam no chão, quando chegou da academia”, “o despertador tocou, mas seu braço dormente o impediu de desligar o alarme, então bosejou e voltou a dormir”.

Ta frio? Não me conta… Me mostra, dizendo que “o vidro da janela estava embaçado, a lareira acesa e estalando, e em minhas mãos um chocolate quente pra espantar os calafrios.”

Vocês já devem ter notado que mostrar algo requer uma contagem de palavras muito maior do que quando se conta algo. O que pode resultar em uma novela muito maior do que estava planejado, então tenham em mente de que os dois são importantes! Tem hora que você precisa contar algo e não mostrar. Um bom exemplo é no primeiro livro do Harry Potter, a autora conta aos estudantes como usar a varinha mágica pela primeira vez, pois ela esta levando em consideração o ambiente de ensino.

Outro porém de mostrar ao invés de contar é que se você for querer mostrar TUDO para seu leitor ele vai é ficar entediado (pelo fato de usar mais palavras e alongar a história).

Qual é o segredo de mostrar sem intediar seu leitor?

É não mostrar tudo! E se focar em mostrar coisas que são pertinentes a sua linha de história.

Descrever como Joãozinho toma café da manhã, em familia é relevante para o seu esboço? Não.

Mas se Joãozinho for o presidente do Brazil e tiver uma reunião importante depois tomar seu café, pode ser interessante descrever como ele prepara seu café. (o que gosta de comer e como)

Criar uma hora de descrição para uma personagem de 10 anos de idade se arrumando no banheiro para ir à escola é interessante? Francamente, não. Todo mundo sabe que criança nessa idade demora pra se arrumar.

Mas uma mulher executiva se preparando para algo importante. Talvez seja mais interessante. Mas não faça disso um hábito e mostrar como ela se arruma todo dia, uma ou duas vezes (no máximo) é suficiente para seu leitor captar a mensagem do personagem.

O ideal é mostrar seus personagens de uma forma que o leitor o conheça e se identifique com ele esquecendo até que tem um escritor por trás desses personagens.

Mas como saber quando contar ou mostrar?

Má notícia: você nunca vai saber quando usar um ou outro. Porém, quando estiver escrevendo, pense nesses três pontos:

  1. Descrições repetidas: se você descreveu a mesma coisa mais de uma (ou no máximo duas) vez(es), mesmo que usando palavras diferentes, deixe apenas a descrição que seja mais pertinente a linha da sua história.
  2. Se pergunte se aquela descrição é relevante naquele momento: É relevante saber como Mariazinha limpa a casa? ou prepara um tipo de comida?
  3. Não se desespere se você não sabe o que fazer: você nunca vai saber se aquele trecho é bom ou não se você não escrevê-lo. Se você esta indeciso em como mostrar ou contar, ou quando usar os dois, deixe a tarefa de escolher para seu revisor, que dirá para você se exagerou em mostrar ou não mostrou o suficiente. Claro que é triste ter que deletar vários trechos, mas a revisão é um processo de aprendizado para seu próximo livro, e você terá muito mais confiança em escrever uma descrição.

Exemplos

Contar: O cachorro fugiu assustado do veterinário.

Mostrar: O pequeno cachorro, com o rabo entre as pernas, correu de dentro da sala do veterinário.

Você não disse que ele estava assustado, mas o fato de o cachorrinho estar com o rabo entre as pernas é uma indicação de que estava com medo.

Contar: O homem baixou com dificuldade para pegar a arma.

Mostrar: Levando a mão ao abdomen ensanguentado, o homem estica a outra na tentativa de pegar a arma.

Ao invés de dizer secamente que algo estava errado para o homem. Pinte a cena levantando a questão do porque estava com dificuldade de se baixar.

Por hoje é só! Muito obrigada por estarem comigo nessa jornada e em mais um ano de vida!!

Escreva feliz! E até semana que vem!

Seu Personagem é real? Parte I (Série diário do livro)

Vamos destrinchar esse diário!!

E começarei pelos personagens! (Nada importante, não é mesmo?) Então, sem mais delongas, pontos que conciderei para meus personagens:

  • Idade (aniversário, ano)
  • Onde nasceu
  • Como se veste
  • Personalidade (falaremos sobre tipos de personalidades num futuro post)
  • Características do carater
  • E se quiser ir mais a fundo: signo e a influência sobre personagem
  • Quem são os pais?
  • Avós?
  • Tem mais alguém da família envolvido na história? (alguém de importancia para o esboço)
  • Hábitos
  • Metas e sonhos
  • Erros/ falhas do carater (porque ninguém é perfeito)

Eu sou muito detalhista quando se trata de personagens, quero saber de tudo da vida dela, tanto que, sério… eles são reais pra mim, e espero que meus leitores se sintam assim também.

O renomado, Curt Vonnegut, escritor de Player Piano publicado em 1952, com relação a criação de personagens disse que:

“Todo personagem precisa querer alguma coisa, nem que seja um copo d’água”

Todos nós temos um desejo, uma ânsia incansável por algo, por que nossos personagens não podem ser o mesmo?

Eu adicionei também uma breve descrição da história do personagem no Ponto de Vista dele, em uma linha do tempo. Não precisa ser maior que uma pagina.

Vou dar o exemplo da minha personagem na série Guardados por Anjos, Donna Morgan:

“Donna perdeu o pai, aos 13 anos de idade (ano de 1996).

Ela e a mãe, receberam indenização e tornaram-se muito próximas.

5 anos depois (2001), Donna decidiu seguir a mesma carreira do pai.

Aplicou e conseguiu uma vaga em Harvard, sem a mãe saber.

Seguir a mesma carreira do pai foi a forma que ela encontrou de sempre estar perto dele, mesmo sua mãe não querendo isso para a vida dela. (Um problema interior)

Donna teimosa decidiu ir, contou para mãe seu plano, mas discutiram feio.

Donna acreditava que seu pai ainda estava vivo. Não podia voltar atrás e deixar de buscar por ele, então saiu de casa, com o coração na garganta, mas sem dizer adeus.

Após isso, as duas não se falaram mais.”

Esse resuminho é para te dar uma visão geral do personagem. Não tenho uma para cada personagem, mas pelo menos para os principais.

Tome cuidado se caso tiver mais de um personagem principal, você pode acaber misturando eles, sem contar que poderá perder o foco da história.

Se sua história precisa de ter mais de um principal. Pesquise uma forma de contar a história sem suprimir nenhum personagem. (Isso se chama Ensemble, que significa conjunto, mas nesse caso é a denominação para quando um grupo de personagens tem igual valor ao de um principal e são fundamentais para o enredo – mais detalhes a respeito de ensembles num futuro post). Um bom exemplo de escritor para essa técnica de escrita é Stephen King e sua obra It. Sem dúvida FENOMENAL.

A ação será repetida na linha de outros personagens, porém será na visão e com os sentimentos deles.

Por exemplo, ainda tendo em vista a Donna como personagem em questão, ao invés de dizer:

“Meredith suplicou a Donna para que não fosse a Harvard.”

Dizer:

“Donna ouviu sem dar muita importância, às súplicas de sua mãe, porque estava decidida a seguir os passos de seu pai.”

O foco está sempre em Dona.

Essa dica é interessante, pois te ajuda também no esboço do livro em si. Tema para outro post 😉 (Quantos temas ainda para se explorar).

Lembre se que Scrivener é um programa que auxilia escritores com suas criações, e fique ligado pois estarei lançando um tutorial imperdível de como usar ao máximo este programa que mudou a forma como eu faço minhas criações.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Quart-feira dia 3 de Abril é o meu aniversário e estarei falando sobre a diferença entre Mostrar e Contar! Uma técnica que ajudara você a descrever melhor sua história!

Travei!! E aí?

Já aconteceu de você sentar na frente do computador para escrever seu livro, admirou a página branca do Word e… só? NADA! Nem uma palavra. Travou! Não consegue ser produtivo?

Ou talvez, você tenha algo escrito, mas se pergunta o que vem agora? E não consegue escrever mais. Escreveu um capítulo e o achou muito curto pra ser considerado um?

Pois é! Eu também! De fato, é onde eu me encontro nesse exato momento.

Isso se chama bloqueio de escritor (ou Writer’s Block, se você quer ser mais chique). Algo muito comum entre todos nós escritores e infelizmente será presente durante todo o momento de sua carreira.

O que fazer com um Bloqueio de escritor?

Eu cheguei até a perguntar para umas colegas escritoras o que fazer, juntei tudo aqui para vocês poderem escrever FIM e mandarem seu livro pra edição!

Movimente-se

Sai da cadeira e da uma volta no quarteirão. Faz um café, vai conversar com o vizinho, faz um exercício. Destrair sua mente um pouquinho não quer dizer que você esta sendo desleixado, muito pelo contrário, é como você estivesse dando um reboot no seu sistema cerebral pra se focar melhor, quando você mais precisa.

Tá com preguiça de levantar?

Joga Sudoko! Compre um caderno de desenho, e fica desenhando. Não sabe desenhar? Colorir pode ser sua válvula de escape. Tem uns livros de colorir para adultos legais e  muito eficientes.

Mas determine um tempo para esse momento. Não vá começar seu momento anti-criativo e ficar nele o dia todo por que aí seu livro não sai.

Use sistema Pomodoro

A teoria diz que o máximo de tempo que nosso cérebro consegue se focar 100% em uma ação é de vinte-cinco minutos.

Tem aplicativos gratuitos no celular para isso, e são muito efetivos.a-tecnica-pomodoro-um-metodo-gestao-tempo-5b4e0f6051f44

Foque na sua escrita por vinte-cinco minutos. Quando o tempo acabar, você pode setar um tempo para descansar a mente (que pode ser de 5 a 10 minutos). Quando esse tempo acabar você volta a escrever por mais vinte-cinco minutos. Assim você se concentra em uma tarefa de cada vez, sem gerar um bloqueio.

Outra coisa que ajuda também é ter visível o objetivo do seu timer. Pega um post-it ou se você e bem visual uma página inteira, e determine seu objetivo para aquela sessão. Assim você sabe qual é o seu foco. Mesmo que não saia muitas palavras, você dedicou aquele tempo para um objetivo e no fim das contas, conseguiu escrever algumas palavras (melhor que nada).

Depois de um tempo usando essa estratégia, você vai perceber que as palavras fluem mais naturalmente e o bloqueio de antes vai diminuindo.

Volte ao seu diário

Se você é como eu, talvez tenha um caderno de anotações, pesquisas e tudo mais. As vezes, dar uma parada para ler essas anotações, pode fazer fluir alguma inspiração. Talvez (já aconteceu comigo), a inspiração que você encontrou não seja exatamente na parte em que você travou, MAAAS, não deixa de ser parte do livro, não é mesmo?

Escrever algo é melhor do que nada. E não se preoculpe com aquele branco (por que traz mais branco), por que no momento certo ele não vai ser mais branco.

Não tem diário? Comece um!

Categorize seus personagens, separe as cenas do seu livro em blocos menores. Talvez use aquelas fixas para resumir tudo que você quer para aquele capítulo. Compre um quadro e pindure suas fixas na ordem que desejar para ter uma visualização melhor do seu livro. Essa reorganização pode ajuda-lo a quebrar esses bloqueios, não só isso mas como também, a escrever melhor. O fato de ter o esboço do seu livro exposto aos seus lindos olhos o ajuda a ser mais creativo.

Seu livro esta aí! Na sua frente! Basta você fechar os buracos devagar.

Em que horário você esta escrevendo?

Você pode ser o seu próprio bloquiador de idéias se você decidiu escrever com fome, cansado, cabelos bagunçados e crianças gritando no fundo (a não ser que tenha uma força de vontade de um leão).

Tendo um chronograma do seu dia (tô falando de TODO o seu dia desde, tempo para tomar café como para trabalhar) poderá liberar um pouco esses seus bloqueios mentais.

Mas, não venha com a histórinha de que você não consegue, por que você já conseguiu o mais dificil: começar a escrever um livro. Então não seja seu pior inimigo, seu livro precisa de você inteira, tranquila e alimentada.

Talvez combinar um horário para sair de casa só para escrever seja uma boa opção. É o que eu faço hoje. Tenho uma criançinha pequena e então eu largo ela na escolinha, vou para um Starbucks e fico sentada lá com meu laptop até dar a hora de eu entrar no trabalho.

Não me digam: aaahh, mas é muito caro um cafézinho de lá.

Por que, afinal, o que é mais valioso? Seu bolso ou um horário e lugar para escrever seu livro em paz? Pense assim, seu café e o aluguel do seu escritório chique. Hahaha

Estando em um lugar diferente e longe de tudo e todos poderá te ajudar a dissolver seus bloqueios.

Tamanho não é documento

Ninguém estipulou um tamanho exato para um capítulo ser coniderado como um. Então não se preocupe muito com o tamanho dele. O que importa é o tipo de mensagem que você esta buscando passar nele. Qual é o gancho que ele deixa para o próximo capítulo? Qual é o ponto de vista que você utilizou para escrevê-lo?

Se você conseguiu passar a mensagem desejada em um capítulo de duas paginas. Deixe-o assim. Pode ser que mais pra frente você queira adicionar algo aqui ou ali, ou até fazê-lo parte de um outro capítulo.

 

Bom, espero que tenha ajudado alguém! Se vocês tem alguma outra idéia para destravar deixem nos comentarios abaixo 🙂

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Voltaremos com a série Diário do livro falando sobre personagens ainda por que eu não terminei… tem tanta coisa para falar a respeito das pessoas que criamos que não tá nem escrito (tá sim, e só ficar atento nas minhas postagens semanais que tá escrito sim).

Mas o foco será se seu personaguem e real ou não.

 

Escreva feliz e até semana que vem!

O benefício de um diário

thought-catalog-214785-unsplash.jpg

Tendo sua idéia validada, a hora de começar a escrever chegou.

Mas, como guardar suas criações de forma efetiva e organizada?

Hoje falaremos de como criar um diário, onde você manterá todas as informações do seu autônomo ou série. É como se você escrevesse um livro para seu livro. Vou explicar em alguns momentos.

Por que ter um diário?

Manter um diário da caracterização de personagens, locais e objetos de importância para a história, ajuda a prevenir erros futuros, assiste na formação de conteúdo da história e assim, poderás ter todas as informações num lugar só sem perder nada. ; )

Ninguém quer começar a descrever um personagem com olhos azuis e, dois capítulos depois, o mesmo tem olhos castanhos. Já aconteceu! (e ainda acontece)

Então, aqui estão as minhas dicas para dar início ao seu diário:

Lembrando que todas as dicas aqui são baseadas nas minhas experiências pessoais e pesquisas que fiz para me ajudar a escrever melhor, então se você tem uma outra forma de se organizar, deixe um comentário abaixo com a sua estratégia.

1. Crie setores

O meu diário é dividido em:

  1. Personagens (e um panorama de personagens)
  2. Linha do tempo (fabula e syuzhet)/época(detalhes importantes da época)
  3. Lugares (e suas descrições baseadas nos detalhes da época)
  4. Línguas usadas (opcional – eu inventei uma língua para minha série, por exemplo)
  5. Objetos (opcional – chaves, coisas relevantes para um certo ponto da história, descrições e imagens para ajudar na visualização e processo criativo)
  6. Entrevistas e recortes de jornal da época (Opcional – as vezes, entrevistas são necessárias para juntar informações referente a época, ou uma área do qual você não esta familiarizado, tenho também separado alguns recortes de jornal da época, para dar à minha história uma sensação de realidade)
  7. Questões a serem respondidas (opcional – as partes difíceis da história)
  8. ENREDO (uma sequência de cenas do começo ao fim)
  9. Teste de diálogos (opcional – sim as vezes fico interpretando meus personagens e guardo seus diálogos aqui)
  10. Cenas/idéias não usadas
  11. Pesquisas no geral

Por isso que daria pra escrever um livro só do meu diário.

joinha

Escolhi fazer assim, primeiro, porque pretendo lançar uma série (não sei quantos livros vão ser ainda), e segundo, para ser mais visível aos meus olhos, já que eu não sou a pessoa mais organizada do mundo. Pessoalmente acredito que organizei de uma forma que se qualquer um fosse acessar as informações do meu diário, as encontraria com facilidade. Então joínha pra mim!!!

2. Nunca delete nada que você escreveu

Não importa quão ruim seja, ele vale de experiência para ajudar você a escrever melhor, ou ainda, se criaste a descrição de um personagem que não te agradou (para a história que esta escrevendo), você pode usar em outra situação.

Pode acontecer de (na hora do processo de edição e avaliação), seu editor peça para você tirar partes importantes (até as mais queridas) por que não cabe dentro da história naquele ponto. Não fique triste, guarde-as para um momento futuro, talvez até útil para uma sequência. 

Tenha em mente a importância de uma edição profissional para sua obra (apesar da frustração que o processo as vezes traz), ela não somente vai dar clareza para sua obra, mas como também para seu leitor, ajudando até em vendas.

Tenho um setor só para isso (com sub-setores também), para guardar cada uma delas.

3. Use um aplicativo em nuvem além de um diário físico.

Meu primeiro manuscrito está escrito em inglês, assim como meu diário.

Afinal, diário é pra se andar de baixo do braço. Vai que um dia a bateria acabe ou que você trabalhe em um local que não se pode ter o celular por perto (como eu). Por isso o físico. Ou as vezes (se você for como eu), escrever com papel e caneta faz a idéia fluir melhor.

Não esqueça, de ao fim do dia, passar tudo do seu físico para a nuvem, dando assim, uma segurança de tudo estar na mesma página. Também tem o caso de se perder o diário, que, tudo bem perder o diário, não queremos perder o que tá dentro, né?

Sinque seu celular com seu computador. Assim poderás escrever onde estiver sem perder o fio da meada e recapitular informações essenciais das quais talvez poderá ter esquecido.

Eu, pessoalmente uso o OneNote. É sem dúvida fantástico. Mas tem outros como Evernote (também muito usado) Simplenote para iPhone, Google keep, que é um pouco mais simples.

Tem também softwares como Scrivener, – você pode ter no PC, no celular, tablet – seu projeto inteiro fica a disposição em todo tipo de plataforma (vou criar uma série voltada para esse software dos deuses que eu amo, amo, amo).

Num futuro post entrarei mais afundo nos setores que criei para meu diário.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Voltaremos com a Serie Diario do livro mais pra frente e falaremos semana que vem sobre Bloqueio de Escritor e como nos livrarmos dele (se é que é possível).

Validando a Sua Idéia de Livro

jan-kahanek-184675-unsplash.jpg

Olá escritores!

Um dia veio a minha cabeça uma pergunta (uma não, várias): Por que quero escrever minha série? Será que vão ler minha história? Será que essa série vai render algum lucro?

Por que não adianta somente ter vontade de escrever um livro (ou uma série, que é muito mais trabalhoso), eu tinha que ter certeza se essa idéia seria boa o suficiente para se tornar um produto de venda. Se iria valer a pena perder horas a fio em uma obra (ou várias) só por escrever, e não aparecer nem na primeira página de busca do Google quando forem buscar o tema do livro.

Então fui a busca de como validar minhas idéias. E encontrei algumas dicas interessantes que quero dividir com vocês!

O que significa “validar uma idéia” e por que isso é tão importante para mim?

Validar sua idéia, de simples modo, significa ver se há uma demanda para o tipo de gênero em que quer escrever e, se caso sua história tem o diferencial necessário para competir mano-a-mano com os outros livros do mesmo nicho.

Escrever um livro requer intensas horas de trabalho e paixão, não que isso não importe, mas será que queremos desperdiçar todo esse tesão em algo que não é bom?

Mas, como definir exatamente a palavra “bom”?

No contexto de validação da idéia, “bom” quer dizer simplesmente que existem leitores que pagariam para ler a sua história. E estes três ingredientes são essenciais para a validação de sua idéia.

  • Mercado

Vamos supor que você surgiu com um conceito de livro novo, algo que ninguém se quer ouviu falar, ou um gênero (ou até mesmo um estilo de escrita novo), imagina o risco que você corre ao lançar algo que ninguém está familiarizado. É capaz de não gerar renda nenhuma por mais inovador que seja.

Uma boa forma de saber qual é a necessidade do mercado é fazendo uma busca de palavras no Google e na Amazon, para saber o que seu consumidor está procurando.

Digite sua idéia, ou um conjunto de palavras no Google, referentes à sua idéia, para ver quais são os cinco primeiros resultados que aparecem. Se você notar que dentre essas cinco, tem algo similar ao que prentende escrever, isso quer dizer que as pessoas estão buscando por esse tipo de conteúdo.

Uma ótima ferramenta, também, é chamada de kwfinder.com . Você digita sua idéia (ou título, frase, conjunto de palavras) na área de busca e ele mostra quantas pessoas já buscaram no Google (acredito que na Amazon também), por esse determinado conjunto de palavras (com porcentagem e tudo. É bem esclarecedor), entendendo assim, onde a demanda de seu consumidor está em foco. Vale lembrar que tem a forma gratuita e paga do site.

  • Bons pagadores

Não basta só ter demanda, é necessário saber se o consumidor está apto a pagar pelo que escreveu. Com o advento da internet e a facilidade de encontrar informações gratuitas, o consumidor pode querer deixar de comprar algum texto seu por ser muito similar (sem diferencial) e estar disponível por outro autor gratuitamente.

  • Competição

Agora que você formulou uma idéia com mercado e demanda de consumidores pagantes, você tem que pensar nos competidores. Seu trabalho é acessar se, dentre outros tantos, se seu livro vai estar apto a competir ou não. Essa fase de pesquisa é importantíssima para a validação do seu livro, pois é ela quem vai determinar se sua história valera apena ser escrita ou não.

Qual é o diferencial da sua história? E será que esse diferencial sobressai aos outros do mesmo nicho? Qual técnica você pretende usar para ultrapassar seu concorrente?

Então resumindo: 1. Encontre mercado usando pesquisas de palavras; 2. Gente que pagaria pela sua história; e 3. Aprenda quem são seus concorrentes e encontre um diferencial para seu livro.

Fácil! (até parece!)

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Vamos começar uma série chamada: Diário do Livro.

Com detalhes de como organizar tudo o que você já aprendeu a respeito da sua história em setores, facilitando assim, seu processo criativo.

Inscreva-se!

Se você ainda não participa da nossa lista de email, inscreva-se e receba GRÁTIS minha planilha de esboço para te ajudar a escrever seu livro melhor e mais rapido!

Não perca essa oportunidade GRATUITA de fazer melhor com o que te faz feliz!

Escreva feliz!!! E até a próxima!

Por que escrever? Por onde começar?

Olá escritores!

Nos perguntamos, lá no fundinho, se somos realmente capazes de escrever um livro, tipo Harry Potter, e fazer dinheiro com isso.

Muitos de nós, estando com seu primeiro manuscrito na mão, ainda nos perguntamos. Realmente é uma questão “de sou ou não sou (um escritor)”.

Mas, pelo menos, você não está sozinho(a).

Em 2011 a Pollsters Report fez uma estatística que dizia que 80% dos Americanos gostariam de ser escritores. Isso são mais ou menos 200 milhões de pessoas. No mesmo ano, estatísticas dizem que foram publicados 329,259 livros nos EUA e 2.2 milhões no mundo todo, em um ano só! A google estima que são 130 milhões de livros publicados em toda a história, isso em 2011.

Imagina agora!

Estamos numa sociedade onde facilidade de publicação esta na moda, os Ebooks estão a todo vapor, e é difícil se mostrar um diferencial no meio de tantos outros renomados autores.

Tudo isso cria um peso psicológico em qualquer um, de que nunca irão conceguir ter o seu livro na mão e receber ($$$) fazendo o que se mais gosta.

Escrever

Essas estatísticas, trazem dúvidas. É muito difícil, nosso consciente nos diz. Demanda tempo, dinheiro, o que vou fazer com as crianças, sou muito velho, sou muito novo, trabalho, escola, a louça na pia. É muita coisa.

Poucos sabem, porém, que para tudo existe ORGANIZAÇÃO.

Sou mãe de uma bebezinha e consegui encontrar tempo para escrever meu livro, fazer traduções de livros do português para Inglês, cozinhar, limpar a casa… Faço yoga todo, TODO dia (se exercitar é importante também. Para manter o corpitcho). E ainda tenho tempo para meu bloguinho.

Gente ORGANIZAÇÃO! E uma pitada de sacrifício, vai. (Mas se é o que te faz feliz, como podemos chamar de sacrifício, o que deixamos de fazer para conquistar nossos sonhos?)

Aqui vou deixar algumas dicas para treinar sua mente e entrar no “fruxo” de escrever, encontrar motivação, se organizar e, é claro, escrever!

1. Pare de apertar o botão da soneca!!!

Isso vai soar como concelho de mãe, mas, pera ae, talvez seja mesmo (aliás, precisamos ouví-las mais).
Pare de dizer que você esta muito cansado, que não consegue ou de se sentir tão pesado.

Não adianta nada você depois do trabalho chegar em casa, tomar banho e se arrastar pra cama dizendo que no dia seguinte vai ser tudo diferente: vou acordar mais cedo para escrever, me organizar e assim, ser uma pessoa melhor, pra depois, na manha seguinte, quando toca o despertador, ao invés de cumprir o que prometeu na noite passada, você mal acorda e aperta o botão do cão.

Comece seu dia sem procrastinação.

2. Destrua o hábito de hesitar.

Nosso cérebro foi feito para nos proteger de situações e sensações ruins.

Exemplo: Tive uma idéia sensacional para ganhar dinheiro sem precisar sair de casa. Mas, não sei como fazer A, nem B, nem C. Quer saber? Deixa pra la! Talvez essa não seja uma idéia tão boa assim.

Ou seja, nosso cérebro está acostumado a neutralizar nossas idéias (pode até realmente não ser uma idéia muito boa, mas você só vai saber se testar), e nosso corpo com menagens negativas do tipo: não vou conseguir, não sou suficiente, não tenho tempo (e aí vem o botão do cão) e lá se vai a mudança de vida radical que você tanto queria.

HESITAÇÃO

Esse é o hábito que muitos não percebem, mas que deveríamos extinguir (é pior q roer unha essa coisa).

Quando temos uma idéia boa (ou um sonho) e paramos para pensar no que não somos capazes de fazer, ao invéz de, o que podemos aprender com isso, nosso cérebro envia pro corpo todo um tipo de anestesia geral, impedindo-o de fazer o que se é necessário para fazer essa idéia acontecer.

Não pare pra pensar no que você não sabe, pare pra pensar no que você é capaz de fazer.

Por isso, temos o próximo ponto.

3. Conte até cinco de traz pra frente.

Um estudo psicológico comprova, que o cérebro leva em torno de cinco segundos para enviar ao corpo o hormônio da hesitação, transformando seu sonho em pesadelo.

Mas, há uma diferença entre contar normal e de tráz pra frente.

spacex-530583-unsplash

Contando normal, você não se polícia em concentrar-se a contar, por ser algo natural (as vezes até de mais).

Agora, contando de traz pra frente, a concentração exigida do cérebro e maior, abafando as mensagens negativas da sua mente, inibindo o hormônio, e dando espaço ao comprometimento.

Simples assim: pense em você como um foguete a ser lançado no espaço (e pula dessa cama e comece a escrever!).

4. Escreva e leia

Voce já tem uma idéia, então escreva. De forma linear ou não. Não importa quantidade ou forma do conteúdo. Você tem que começar de algum lugar.

É importante frisar também, que você escreva no instante em que a idéia surge, pois procastinar, fará você esquecer de algum detalhe crucial.

Já escreveu? Então leia a respeito. Pesquise sobre o tema. Busque escritores que já falaram do assunto. E decida qual vai ser o seu diferencial.

Falaremos, em um futuro post, sobre escrever sem perder o fio da meada (o que sempre faço) e aumentar sua produtividade.

5. Leia e escreva.

Sim. Só troquei a ordem. Porque as duas estão muito juntas sempre. São super amigas!

Escrever implica ler mais um pouco. Hoje em dia muitos livros misturam tipos de generos – uma hora é romance, outra é suspence – então é bom dar uma lida em todos, mesmo que não goste. Eu por exemplo, não gosto muito de romance, se eu percebo isso num livro, já perco um pouco do interesse. MAAAS, tenho que ler, né. Como vou saber as características do gênero, se eu não leio?

Ler nos faz escrever melhor a respeito do que gostamos.

6. Mantenha um diário

Onde você possa escrever tudo referente ao seu livro.

Sugiro que seja em papel mesmo, para você sentir o peso da responsabilidade que você tem com seu livro por onde for. Buahahaha!
Não só por isso não. E que papel é mais dificil de se apagar e perder. Você sempre pode voltar ao bom e velho papel.

Eu tenho dois: um em papel e outro na nuvem. Cada um tem seu propósito no meu livro. Com o papel as vezes desenho coisas que não sei como fazer com o da nuvem, quando eu termino, vou la tiro foto e adiciono na nuvem. Tem como fazer, eu só não sei como. Hehe! E com a nuvem eu tenho pastas separadas com pesquisas e descrições detalhadas, sobre meus personagens, lugares e etc.

7. Agenda

Crie um calendário onde você possa detalhar as coisas das quais tem que fazer no seu dia a dia.

Mas to falando de tudo mesmo, ate o que você faz na hora do seu almoço (é incrível o quanto eu consegui fazer em 30 ou 40 minutos do meu almoço).

Só com uma agenda detalhada é que você vai conseguir ver quanto tempo dura uma tarefa e quanto tempo você realmente tem. E ele também pode ser um motivador seu.

Bom por hoje é só, e são tantas formas para se organizar e escrever! Comente abaixo o que você faz pra se motivar.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Aprenderemos sobre validação de sua idéia de livro e o por que disso ser tão importante.

Afinal, escrever um livro requer muito esforço e tempo, não queremos desperdiçar suor em algo que não te vai render lucro.

Inscreva-se!

Se você ainda não participa da nossa lista de email, inscreva-se e receba GRÁTIS minha planilha de esboço para te ajudar a escrever seu livro melhor e mais rapido!

Não perca essa oportunidade GRATUITA de ser melhor com o que te faz feliz!

Escreva feliz!!! E até a próxima!