Confissões de um Procrastinador

Procastinar.

Eu confesso que, quando percebi o que estava fazendo (com meus sonhos de escritora), fiquei um pouco triste comigo mesma.  Quero tanto deixar minha marca no mundo e, ao invés disso, deixo meus dias escorrerem por entre meus dedos. Como água que insisto em dominar a forma.

Percebi que sem uma mudança drástica, uma desintoxicação mental, talvez não conseguiria mudar meu diagnóstico. Eu precisaria criar uma forma de confrontar, de me auto-confrontar diariamente, para reverter toda a culpa que sinto quando penso no tempo que perdi e, o pior, que ainda estou parada no mesmo lugar.

Só que deixar de procrastinar é deixar minha zona de conforto e não vou mentir, eu gosto da minha zona. No sentido literal (bagunça) e no sentido espacial (cada um no seu quadrado, sabe?). Porque tem sempre o “amanhã eu faço”, o depois, o daqui a pouco.

Estava parada no tempo.

Até agora estou procastinando. Faz duas semana que o tênis sujo da minha filha tá pra lavar e não consegui criar coragem. Que coisa né? Uma coisa tão simples e rápida que provavelmente faria em 10 min.

A verdade é que cansei de me sentir cansada toda hora, cansei de empurrar as coisas com a barriga. De me prender em coisas, divertidas, mas fúteis como jogar videogame.

Que marca vou deixar nesse mundo? O que estou ensinando pra minha filha?

Como reverter esse quadro?

Depois de muitas pesquisas e muita força de vontade descobri a resposta: sim. Temos como mudar, sim.

E foi assim que comecei:

Primeiro, limpei minha mesa de escritório e organizei meus livros e coisinhas de arte da minha filha (principalmente aqueles que fazem muita bagunça se eu não estou por perto dela).

Segundo, limpei meu computador, meu celular e organizei minhas milhões de fotos (talvez mais), parece besteira, mas me incomodava de mais em pensar nas fotos.

Terceiro, voltei a usar agenda pra fazer anotações essenciais e me ajudar a organizar meu tempo para fazer todas as tarefas que tenho que fazer de forma distribuída: lista de compra, mandar aquele email, lavar o carro (lavar o tênis da menina).

Quarto,- eu ainda estou tentando fazer – facilitar o dia seguinte. Exemplo, o tempo que eu mais escrevo é de manhã antes do meu trabalho (e enquanto todos estão dormindo) eu levanto as 4 da manhã e tenho uma hora pra escrever, mas perco o tempo preparando meu café, enchendo a garrafa d’água e pensando no que vou comer . Aí pensei, por que não deixar tudo no jeito na noite anterior? Foi o que fiz e acabo economizando uns 15 min do meu tempo para poder escrever um pouco mais.

Quinto e último, fiz um quadro no meu escritório escrito: Escrever uma palavra vale mais que ZERO palavras. E leio ele todo dia. Me ajuda a não perder meu foco caso eu só escreva algumas frases, o que importa é que eu escrevi, e então hoje já é melhor que ontem por causa disso.

Mas quero saber de vocês também. O que vocês tem procrastinando? Procrastinar é algo que tem incomodado a vocês também?

Deixe nos comentários os seus pensamentos!

Autor:

Amo ler, escrever, editar, traduzir, ensinar! Minha paixao e minha familia e sonho um dia em estar entre os 10 livros mais lidos do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s