Dicas do Escritor de Deixados para Trás

Na Segunda dia 7 de Fevereiro, participei de um Webnar com o grande Jerry B. Jenkins, escritor de mais de 300 livros e editor.

Nessa aulona, pude capitar algumas dicas práticas para aprimorar a escrita e fazer com que publicadores aceitem sua obra mais fácil. Vamos para as dicas:

Se você não procurar editar seu primeiro rascunho antes de mandar para um profissional ou publicadora.

O que pode acontecer é que o editor vai cobrar muito mais para editar sua obra toda. O editor consegue determinar isso apenas lendo as primeiras 3 páginas do seu manuscrito.

Se o editor consegue perceber essas coisinhas lendo só três páginas, imagina uma publicadora. Seria um desperdício de tempo, falta de proffisionalismo e desanimador também, pois será óbvio que você receberá uma carta negando a publicação da sua obra prima.

Separe Escrever de Editar

É tentador e muitas vezes difícil, mas procure escrever tudo o que você quer colocar na sua obra. Depois de escrever FIM, aí comece a cortar as coisas fora.

Sim, cortar fora, deletar da obra. Jerry B. Jenkins comenta durante o webnar que teve alunos deles que tiveram que “deletar” 2/3 da obra deles seguindo os passos de edição que ele passou no curso. Triste, mas eficiente, profissional e com certeza te ensinará a escrever melhor.

Você pode perder muito tempo se ficar usando o seu tempo de escrever para ficar editando o texto, atrapalhando assim o seu processo de publicação.

Toda escrita eh uma reescrita.

Edite começando pelo Big Picture (pela parte mais importante da sua história): seus personagens.

Preste atenção no seu protagonista e no seu vilão. Os dois tem que ter as metas e motivos bem esclarecidos para estarem na posição onde estão.

Entenda seu Ponto de Vista

Não sei expressar como isso é importante, então vou continuar dizendo quantas vezes conseguir. Qual é o ponto de vista que você quer usar para sua obra. Use-a até o final, ou – se você for fazer como eu estou fazendo – determine o ponto de vista a ser usado para cada personagem e STICK WITH IT (continue com ele até o final).

Estude suas diferenças! Para mais informações a respeito de Ponto de Vista visite meus posts aqui, aqui, e aqui.

Refine cada Cena do seu livro

Tente evitar palavras ou situações clichês.

Palavras/frases clichês: a união faz a força, brincar com fogo, chutar o balde, viver é lutar, antes de mais nada, derrepente, com direito a, erro gritante, vítimas fatais.

Situações clichês: ouvi o despertador tocar e acordei; fui no banheiro escovar os dentes por dois minutos; comi açaí batida com espinafre junto com banana e morango picado, leite ninho, leite condensado e granola; ouvi alguém bater na porta, andei até a porta e abri; estacionei o carro abri a porta do carro andei até a porta, enfiei a chave na porta… SE NÃO TEM NADA A VER COM A HISTÓRIA OU MOMENTO NÃO ADICIONE.

Não conte coisas que não estão acontecendo. Por exemplo: ele falava comigo mas eu não esboçava nenhuma emoção (ao invés, diga como ele contorcia o rosto, ou como ele mantinha o rosto congelado, sei lá, conta o que tá acontecendo)

Delete essas palavras/situações

Delete palavras como: muito, pouco, ou tipo. Essas palavras enfraquecem sua frase:

Dizer: “Você é muito bonita!” É mais fraco do que “Você é bonita.”

Muito é uma palavra que se torna excessiva e desnecessária para o leitor.

Tente evitar manerismos como personagem usando tipo, tipo… ou por exemplo, como o personagem esta depois de uma fala: – personagem fala – disse com despreso.

As palavras que você vai utilizar na fala do personagem devem mostrar esse sentimento de despreso.

O leitor vai focar mais no diálogo do que nesses rótulos de diálogo.

Mas é engraçada essa dica, porquê já ouvi muitos escritores falarem para não ficar repetindo “ele disse”, “ela disse” e trocar por um sentimento ou maneirismo. Mas concordo que o leitor se preocupa mais com o diálogo do que com os rótulos.

Leia tudo de novo! Tudo!

Depois de terminar de fazer todas as mudanças, leia tudo de cabo a rabo. Leia em voz alta, para ver o tom da história e como você se sente enquanto lê sua história. Você quer provocar emoção no seu leitor, e lendo em voz alta é uma forma fácil de capitar o tipo de emoção que você posicionou na cena que está lendo.

Você quer que sua história toque nos sentidos dos seus leitores. Quanto mais você conseguir isso mais imersivo será sua história, o que é bom!

Bastante dicas aí para vocês hoje!

Qual dessas você já usa, e qual dessas dicas você não tinha ouvido falar? Deixe aqui nos comentários.

Você concorda com todas?

Têm alguma dúvida a respeito delas? Deixe um comentário também!

Beijos até a próximaaaa!

Autor:

Amo ler, escrever, editar, traduzir, ensinar! Minha paixao e minha familia e sonho um dia em estar entre os 10 livros mais lidos do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s