Prólogo VS. Epílogo

Estou usando os dois em meus textos e pesquisei… pesquisei… sem fim a respeito desses dois aí.

O uso deles é variado e nenhum deles são obrigatórios e as vezes são – muitas vezes – mal utilizados e mal interpretados.

O problema desses dois é que se não usados corretamente o leitor provavelmente vai perder o interesse e largar o livro antes de chegar no capítulo um.

Li prólogo que dava mais sono que tudo. Li epílogo que fazia parte do desfecho do livro e poderia ser incorporado como um capítulo da história. Mas como definir se você precisa de um ou não?

Vamos falar do prólogo primeiro:

Prólogo é uma palavra do grego que significa: antes da palavra. Ou seja, é uma pequena história essencial dak principal contada antes dela e que auxilia na compreensão geral da história como um todo fornecendo detalhes do passado, ou futuro, de um ou vários personagens.

Exemplo: O livro é sobre uma pedra amaldiçoada contada em 2090, o prólogo talvez contaria a origem da pedra datada de 50 mil anos atras.

É a conclusão do seu livro, mas não é o final da sua história. E é nisso que ele deve se focar. Assim como o prólogo, o epílogo é utilizado para contar uma história essencial da principal, mas o epílogo, sendo esse no fim da história já, vai contar o que? A possível extensão da história principal.

Um bom exemplo são os epílogos dados nos filmes da Marvel Studios onde sempre deixam um gostinho de quero mais ou a sensação de que você não quisesse que o livro terminasse.

Por que que acabou!??

Fica ‘s Dicas!

Se você não sabe usar, não useeeeeeeee! 
Muitas das milhões de vezes você pode omitir o prólogo ou epílogo e simplesmente criar um capítulo. Agora, se aquele capítulo 1 - que no caso é o prólogo - não fazer você se sentir como se você fosse morrer se não terminar de ler o livro, delete! Isso mesmo. Tira fora, porque tem uma probabilidade de que seus leitores faram o mesmo e não lerão sua história. Se for muito importante para a história considere em colocar em outro lugar dentro do livro. No caso do epílogo se ele não deixar aquele gostinho de quero mais, não irão comprar a sequência. Tenha certeza de que é essencial para a compreensão geral da história.
Chame a atenção!
Como dito acima, se sua história inicial não chamar a atenção do seu leitor, não-faça-um-prólogo. Você pode ter uma história muito louca, mas você vai perder tempo e pode perder leitores se você não chamar a atenção deles logo no começo.
Seja direto e reto sem perder seu estilo e voz. 
Ninguém quer ficar lendo um prólogo para sempre. Se o seu está muito grande considere cortar partes desnecessárias, firulas ou então enquadre-o como capítulo mesmo.
Responda isso:
O que você quer que seu leitor espere para a sequência de seu livro? Muito importante na hora de desenvolver seu epílogo. Acredito que um epílogo bem escrito é um que consegue responder a essa pergunta. 

Mas pelo amor do Senhor dos Céus! 
Contrate um editor para dar uma lida na obra final. Converse com um editor para saber se realmente o seu prológo ou epílogo fazem sentido para o contexto da sua história maravilhinda!

Se quiser!

Sou editora e posso fazer esse trabalho pra você! Pra me contactar é super simples só bater aqui no converse comigo. Posso fazer uma cotação na hora pra você!

Beijos a todos!

Autor:

Amo ler, escrever, editar, traduzir, ensinar! Minha paixao e minha familia e sonho um dia em estar entre os 10 livros mais lidos do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s