Quero Escrever SIM!

Boa tarde a todos os escritores e inspirados de plantão!

Não publiquei nada mais cedo devido a bagunça imensa que tive em minha casa. Loucura total.

Mas deixando a bagunça de lado, quero poder dividir uma receita, a todos que anseiam escrever um livro, assim como eu. (to quase lá gente!)

Quando resolvemos seguir uma receita complicada, às vezes leva algumas tentativas pra acertar a dosagem, o tempo, haja paciência e claro, muito amor.

Cada pessoa que prepara uma mesma receita acaba dando um jeitinho de muda-la acrescentar um temperinho aqui outro ali, às vezes acaba dando certo, e outras muitas vezes temos que jogar tudo fora.

Escrever um livro não é tão diferente. O problema é que a receita para a criatividade é genérica. Sabemos qual é a estrutura (receita) de um, por exemplo, romance, mas como utilizamos essa estrutura vai de cada escritor.

Quando começamos uma receita, todos os escritores têm em comum uma coisa: começamos sempre com uma tigela vazia, ou no nosso caso, uma folha em branco.

E quando sentamos para preencher o vazio de uma página, as perguntas começam a tomar conta: por onde é que começo meu livro? Qual é a melhor forma de escrever? E se eu não for boa o suficiente? Qual é o gênero que quero escrever?

São perguntas validas e precisam de uma resposta sincera.

Eu ainda tenho minhas duvidas até hoje. Quero dividir algumas com vocês:

  • Será que estou complicando muito minha história?
  • Será que meus personagens são reais pra mim?
  • Onde é que o tempo foi parar? Por que já são nove da noite e tenho q acordar cedo para trabalhar.

Não adianta em que estágio em que você se encontra. As dúvidas sempre existirão. Não cabe a você julgar sua história e sim o mundo. Jogue essa responsabilidade para eles e vá trabalhar.

Sim, Mellany, deixe que o mundo julgue o que eu escrever, mas pelo amor de Deus me diz o QUE QUE É QUE EU ESCREVO?

Qualquer coisa!

Apenas comece de algum lugar. Qualquer lugar é melhor que lugar nenhum, já ouvi dizerem.

Comece com pequenas metas: escrever 5 minutos por dia. E vai aumentando.

SE ORGANIZE de alguma forma.

Crie um BRAINSTORM da sua idéia. O que você espera ter no seu livro? Romance? Carros explodindo? Um tesouro?

Comece a pesquisar sobre o assunto.

Crie um esboço pequeno da sua história.

Mas vamos com calma que vamos falar dessas coisas passo-a-passo.

Eu sei que é dificil, acredite! E pior ainda, para quem tem criança(s). Mas tenho que dizer, quando você se esforça um pouco a mais e acorda um pouquinho mais cedo e vê em suas mãos o resultado do seu esforço, não tem preço.

Sem mais delongas, essas 5 dicas irão auxiliar você pra preparar alguns ingredientes e dar início a sua receita ou melhor, te auxiliar a entrar no clima para escrever.

1. Pare de apertar o botão da soneca!!!

Escrever é mesmo seu sonho? Será que você é capaz de deixar sua cama meia hora mais cedo todo dia pra poder escrever pelo menos 5 palavras?

Se sua resposta é sim, então Pare de dizer que você esta muito cansado ou que não conseguir fazer nada certo na sua vida.

Pare de apertar o botão da soneca para seus sonhos. Eles, assim como qualquer outro tipo de trabalho, merecem seu respeito e dedicação, mesmo que a recompensa (financeira principalmente) não venha tão rápido.

Comece a escrever seu livro sem procrastinar.

Outro dia, uma pessoa muito especial pra mim me disse que só o fato de decidir escrever um livro, é uma glória, mas para quem termina um, é uma conquista.

2. Destrua o hábito de hesitar.

Sem mesmo perceber, nosso cérebro nos protege de situações e sensações ruins, as que não aconteceram e até as que nunca vão acontecer. É um sistema de defesa calculista e egoista para inibir a dor, mesmo quando ela é necessária.

Em um momento de dúvida ou advertencia o cérebro imite ao corpo uma espécie de hormônio para inibir uma ação ou reação, relaxando os musculos e fazendo-nos colocar um pé para tras.

christian-gertenbach-SmPp0sUn8TY-unsplash

Esse hormônio é liberado até nas ações e decisões mais simples de nossas vidas como por exemplo, escolher sair ou ficar em casa, decidir visitar a sogra ou não, comer macarrão ou dormir para deixar a fome passar. Ele também e liberado quando se trata de sentimentos.

Será que digo o que sinto? E se ele(a) me rejeitar? Se eu contar essa minha idéia durante a reunião, será que perderei respeito de meus colegas? Será que essa idéia é boba mesmo?

É nesse momento que nosso cérebro entra em ação com seu hormônio, nos faz HESITAR e acabamos não fazendo nada. Podemos perder um amor. Uma promoção. Um aumento. Perdemos uma oportunidade de crescimento.

Para quebrar esse habito que muitos de nós nem percebemos que cometemos (eu faço de mais!!) exige muita vontade própria, dedicação e auto-conhecimento.

Não tenha medo de se espor e nem de tomar atitudes nunca

spacex-530583-unsplash tomadas antes. Pare pra pensar no que você é capaz de fazer.

Um estudo psicológico comprova, que o cérebro leva em torno de cinco segundos para liberar esse hormônio e uma forma efetiva de quebrar esse habito é contar até cinco de tras para frente como se você fosse um foguete presetes a ser lançado no espaço. 

Essa técnica exige uma concentração maior do cérebro do que se fossemos contar naturalmente, enganando-o, impedindo o hormônio de ser liberado e dando espaço ao comprometimento.

3. Escreva e leie 

Você já tem uma idéia, então escreva. De forma linear ou não. Não importa quantidade ou forma do conteúdo. Você tem que começar de algum lugar. Escreva na hora em que a idéia surgir, para evitar esquecimentos de detalhes importantes. (eu sou craque nesse)

Já escreveu? Então leia a respeito, pesquise sobre o tema, busque escritores que já falaram do assunto e encontre seu diferencial.

Não pare por ai! Leia outros gêneros também. Aliás: leia, leia, leia. Incansavelmente, constantemente, com toda sua mente.

É como Lisa See disse:

“Leia mil livros, e suas palavras fluirão como um rio” – Lisa See

Escrever um livro hoje implica ler um pouco mais do que uma pessoa que não tem a intenção de escrever. Precisamos conhecer as nuancas de cada gênero para conhecer o nosso próprio. Precisamos entender onde estão as fronteiras de cada um e como podemos atravesá-los.

Hoje em dia muitos livros misturam tipos de gêneros – uma hora é romance, outra é suspence, então é bom dar uma lida em todos, mesmo naqueles que você não gosta. Eu por exemplo, não gosto muito de romance, (eu to falando daqueles romances melados cheios de drama) se eu percebo isso num livro, já perco um pouco do interesse. MAAAS, tenho que ler, né. Como vou saber as características do gênero, se eu não leio?

“É verdade, aprender a escrever faz parte de aprender a ler. Tudo que sei é que a escrita sai de uma devosão superior à leitura.” — Eudora Welty

4. Mantenha um diário

Untitled
Veja como organizei meus personagens, lugares e pesquisas dentro do Scrivener

Onde você possa escrever tudo referente ao seu livro.

Pode ser um caderninho, uma agenda ou em nuvem. Como você se sentir melhor. Nesse diário você não vai escrever seu livro e sim, por exemplo, pesquisas a respeito de seu livro. 

Eu tinha um em papel, mas depois que conheci Scrivener, todas as minhas pesquisas de campo estão lá junto com meu livro de forma linda e organizada.

Agora, eu manenho uma agenda para coisas que não tenho como, transferir para o Scrivener (ainda), como por exemplo símbolos de uma língua antiga que eu inventei, idéias para a capa. O que tenho feito é tirado foto dos desenhos e armazenado dentro do Scrivener por enquento.

5. Agenda

Crie um calendário onde você possa detalhar as coisas das quais tem que fazer no seu dia-a-dia e para o seu livro.

To falando de tudo mesmo, até o que você faz na hora do seu almoço (é incrível o quanto eu consegia fazer em 30 ou 40 minutos na hora do meu almoço).

A minha agenda é um pouco mais flexível devido à minha cria e ao meu trabalho. Resolvi criar uma rotina em que nós duas possamos tirar proveito do tempo que temos juntas. Eu decidi por como prioridade o tempo que tenho com ela para ensinar as coisas pra ela.

A minha dica para quem tem os filhos todos criados, ou até para quem não os tem, é o método Pomodoro. Ajuste sua agenda para conter espaços de 25 em 25 minutos com intervalos de 5 a 10 minutos entre cada um. É comprovado cientificamente que nosso cérebro trabalha mais eficientimente em blocos de 25 minutos (onde você foca todas suas forças), e pausas regulares. 

Só com uma agenda detalhada é que você vai conseguir ver quanto tempo dura uma tarefa e quanto tempo você realmente tem. Essa agenda também pode ser um motivador seu.

Bom por hoje é só, e são tantas formas para se organizar e escrever! Comente abaixo o que você faz pra se motivar e se manter organizado!

Escreva feliz!!! E até a próxima!

Autor:

Amo ler, escrever, editar, traduzir, ensinar! Minha paixao e minha familia e sonho um dia em estar entre os 10 livros mais lidos do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s