Como esboçar e criar um enredo para o seu livro? Parte II (Série Diário do Livro)

Concluiremos hoje os dois últimos estágios para se desenvolver um esboço lindo e maravilhoso.

Então vamos lá!

Estágio #3: Comece a escrever – os 8 pontos de planejamento de esboço (plot points)

Esses pontos não são mandatorios. Cada escritor acaba desenvolvendo uma forma de planejar ao longo do tempo e com pratica. Desidi usar esse, pois é uma estrutura sólida de uma escritora que gosto muito aqui nos EUA. Eu tenho uma estrutura minha que vou passar para vocês num futuro post (quero tipo fazer um video mostrando o que fiz e como fiz). Repita esse planejamento com cada personagem importante da sua história para te ajudar a encontrar falhas de construção e para dar mais profundidade a ele. Mas vamos lá! Os 8 pontos:

  1. Homeland: essa é a parte onde você introduz seus personagens. Onde estavam quando tudo começou? O que estavam fazendo? De onde são? É onde conectamos seu personagem com o leitor. É preciso criar um alicerce bom já desde o começo para seu leitor querer saber o que vai acontecer com o personagem quando o problema surgir. O problema é introduzido de uma forma mais sutil.
  2. Catalyst #1: Esse momento do livro é o primeiro momento “deu merda” para seu personagem. Algo acontece com seu personagem de forma que cause uma mudança drástica na vida dele. Você vai querer introduzir esse ponto mais ou menos aos 20% do seu livro.
  3. Emotional/reactive fase (fase emocional/reativa): O personagem reage ao ponto catalyst #1 de forma emocional e sem pensar. Personagem está mais seguindo o esboço do que afetando-o. Basicamente galinhas correndo sem cabeça. Drama estabelecido.
  4. Catalyst #2: O protgonista consegue alguma informação crucial para manter a história adiante. Não adianta ficar so chorando as pitangas. Todas as suas reações são afuniladas para uma direção. É nessa fase que o protagonista consegue entender mais sobre o que o antagonista quer, e como ele aje. Dá motivação para o protagonista continuar vivendo.
  5. Proactive fase (fase proativa): Por causa do catalyst #2 seu protagonista muda de estratégia e torna-se mais ofensivo. Convencido de que sabe como jogar o jogo, ele está agora afetando o esboço mais do que só seguindo ele. É onde seu personagem vai tentar e falhar, e tentar de novo e falhar de novo e é importante que eles falhem algumas vezes para aumenar as apostas de se vão conseguir ou não.
  6. Catalyst #3: Aqui é o último momento catalyst onde o seu personagem consegue o último pedaço de informação que os guia a encontrar o antagonista para a última batalha antes do climax. Esse é o momento que seu protagonista deve experienciar algum tipo de momento inconsolável antes de decidir chutar a bunda de todo mundo.
  7. Climax: O climax é o momento mais *odástico da sua história. Cai até merda do céu de tão ruim que as coisas ficam. Seu protagonista tem que estar tão grudado ao chão, de uma forma que nem seu leitor consiga ver a sombra dele. O leitor não sabe como é que o protagonista vai sair dessa e estão virando as páginas pra saber como a história termina. O padrão comum dessa fase é quando seu antagonista parece estar ganhando, só que no último momento (último suspiro) seu protagonista ganha no final, ou também, o contrário pode acontecer onde o protagonista está ganhando e bem no finalzinho o antagonista ganha (muito comum em terror e suspenses).
  8. Conclusion: Seu protagonista tem que sair ferido do climax, se não, seu climax não foi grande o suficiente. Na conclusão é onde você terá de encerrar todas as mudanças que o protagonista fez em sua vida e geralmente é um estado oposto ao primeiro ponto – Homeland. É também onde poderá acontecer mais torção de história (ganchos) para uma sequência.

Mais uma dica é que o problema da sua história TEM QUE ser respondida até o final do livro. Não deixe para responder na sequência por que seus leitores vão ficar só um pouco bravos por causa disso. Pra uma sequência de livros você precisará um esboço totalmente diferente que decorrerá até o final da sequência de livros e vou estar mostrando a diferença entre o esboço de um livro autônomo e de uma sequência.

Uma vez que você conseguiu todas essas partes de informação para sua história está na hora do estágio #4.

Estágio #4: Esboçar

Passamos por todos esses estágios para voltar à primeira questão: como esboçar um livro?

Parece algo meio assustador, mas por isso que é importante ter feito os outros três estágios por que agora esboçar fica mais fácil.

Pense no seu esboço mais como uma lista de cenas. Soa mais amigável.

É a hora de você listar todas as cenas você já decidiu que vai por na história. Anote a sequência em papel, num excel ou nas amadas fixas, coloque uma cena em cada fixa e ordene-as da forma que quiser e depois se precisar mudar uma de lugar fica fácil.

Eu tenho um quadro que fiz com fixas, um excel e tenho também no meu programa Scriviner. Por que tantos esboços? É o meu primeiro livro, queria testar de tudo para ver onde me enquadro mais, e também para poder mostrar para vocês como é que fica em cada plataforma. Num futuro post vou mostrar a vocês essas plataformas mostrar as diferenças, os prós e os cons.

Mas não sei o que acontece… Tipo algo acontece quando você escreve sua história em papel, que é tipo… Mágico.

Não se preocupe se você já escreveu parte do seu livro (caso você seja um escritor randômico – para saber o que é um escritor randômico clique aqui) ou se você não tem nem uma linha. O importante é ter as sequências bem delineadas para que sua história faça sentido.

É nessa fase que as coisas ficam mais arbitrárias e podem meio que, fugir da linha da história que você criou. Então tome cuidado! Toda cena tem que se distanciar da passada e se aproximar da seguinte.

Um capítulo deve terminar com uma questão que deve ser respondida pelo menos até o meio do capítulo seguinte, e é aqui que é importante fazer sua lição de casa em esboçar, por que algo pode não fazer sentido pra você da mesma forma que faz sentido pra mim.

Olhe para seus personagens auxiliares. Será possível algum deles servirem para um sub-esboço, que poderá levar a um esboço maior e mais complexo em uma sequência?

Depois que você terminar de delinear suas cenas, pode ser interessante adicionar um resumão da cena (personagens e descrições do local pertinentes a cena) que te servirá também como um guia pra te manter focado quando for realmente o momento de parar e escrever aquele trecho.

Sexta-feira!

jeshoots-com-462287-unsplash

Estarei falando sobre minha jornada num concurso de Contos! Wise Writer Award! Legal, não?

Escreva Feliz!!!

Autor:

Amo ler, escrever, editar, traduzir, ensinar! Minha paixao e minha familia e sonho um dia em estar entre os 10 livros mais lidos do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s