Travei!! E aí?

Já aconteceu de você sentar na frente do computador para escrever seu livro, admirou a página branca do Word e… só? NADA! Nem uma palavra. Travou! Não consegue ser produtivo?

Ou talvez, você tenha algo escrito, mas se pergunta o que vem agora? E não consegue escrever mais. Escreveu um capítulo e o achou muito curto pra ser considerado um?

Pois é! Eu também! De fato, é onde eu me encontro nesse exato momento.

Isso se chama bloqueio de escritor (ou Writer’s Block, se você quer ser mais chique). Algo muito comum entre todos nós escritores e infelizmente será presente durante todo o momento de sua carreira.

O que fazer com um Bloqueio de escritor?

Eu cheguei até a perguntar para umas colegas escritoras o que fazer, juntei tudo aqui para vocês poderem escrever FIM e mandarem seu livro pra edição!

Movimente-se

Sai da cadeira e da uma volta no quarteirão. Faz um café, vai conversar com o vizinho, faz um exercício. Destrair sua mente um pouquinho não quer dizer que você esta sendo desleixado, muito pelo contrário, é como você estivesse dando um reboot no seu sistema cerebral pra se focar melhor, quando você mais precisa.

Tá com preguiça de levantar?

Joga Sudoko! Compre um caderno de desenho, e fica desenhando. Não sabe desenhar? Colorir pode ser sua válvula de escape. Tem uns livros de colorir para adultos legais e  muito eficientes.

Mas determine um tempo para esse momento. Não vá começar seu momento anti-criativo e ficar nele o dia todo por que aí seu livro não sai.

Use sistema Pomodoro

A teoria diz que o máximo de tempo que nosso cérebro consegue se focar 100% em uma ação é de vinte-cinco minutos.

Tem aplicativos gratuitos no celular para isso, e são muito efetivos.a-tecnica-pomodoro-um-metodo-gestao-tempo-5b4e0f6051f44

Foque na sua escrita por vinte-cinco minutos. Quando o tempo acabar, você pode setar um tempo para descansar a mente (que pode ser de 5 a 10 minutos). Quando esse tempo acabar você volta a escrever por mais vinte-cinco minutos. Assim você se concentra em uma tarefa de cada vez, sem gerar um bloqueio.

Outra coisa que ajuda também é ter visível o objetivo do seu timer. Pega um post-it ou se você e bem visual uma página inteira, e determine seu objetivo para aquela sessão. Assim você sabe qual é o seu foco. Mesmo que não saia muitas palavras, você dedicou aquele tempo para um objetivo e no fim das contas, conseguiu escrever algumas palavras (melhor que nada).

Depois de um tempo usando essa estratégia, você vai perceber que as palavras fluem mais naturalmente e o bloqueio de antes vai diminuindo.

Volte ao seu diário

Se você é como eu, talvez tenha um caderno de anotações, pesquisas e tudo mais. As vezes, dar uma parada para ler essas anotações, pode fazer fluir alguma inspiração. Talvez (já aconteceu comigo), a inspiração que você encontrou não seja exatamente na parte em que você travou, MAAAS, não deixa de ser parte do livro, não é mesmo?

Escrever algo é melhor do que nada. E não se preoculpe com aquele branco (por que traz mais branco), por que no momento certo ele não vai ser mais branco.

Não tem diário? Comece um!

Categorize seus personagens, separe as cenas do seu livro em blocos menores. Talvez use aquelas fixas para resumir tudo que você quer para aquele capítulo. Compre um quadro e pindure suas fixas na ordem que desejar para ter uma visualização melhor do seu livro. Essa reorganização pode ajuda-lo a quebrar esses bloqueios, não só isso mas como também, a escrever melhor. O fato de ter o esboço do seu livro exposto aos seus lindos olhos o ajuda a ser mais creativo.

Seu livro esta aí! Na sua frente! Basta você fechar os buracos devagar.

Em que horário você esta escrevendo?

Você pode ser o seu próprio bloquiador de idéias se você decidiu escrever com fome, cansado, cabelos bagunçados e crianças gritando no fundo (a não ser que tenha uma força de vontade de um leão).

Tendo um chronograma do seu dia (tô falando de TODO o seu dia desde, tempo para tomar café como para trabalhar) poderá liberar um pouco esses seus bloqueios mentais.

Mas, não venha com a histórinha de que você não consegue, por que você já conseguiu o mais dificil: começar a escrever um livro. Então não seja seu pior inimigo, seu livro precisa de você inteira, tranquila e alimentada.

Talvez combinar um horário para sair de casa só para escrever seja uma boa opção. É o que eu faço hoje. Tenho uma criançinha pequena e então eu largo ela na escolinha, vou para um Starbucks e fico sentada lá com meu laptop até dar a hora de eu entrar no trabalho.

Não me digam: aaahh, mas é muito caro um cafézinho de lá.

Por que, afinal, o que é mais valioso? Seu bolso ou um horário e lugar para escrever seu livro em paz? Pense assim, seu café e o aluguel do seu escritório chique. Hahaha

Estando em um lugar diferente e longe de tudo e todos poderá te ajudar a dissolver seus bloqueios.

Tamanho não é documento

Ninguém estipulou um tamanho exato para um capítulo ser coniderado como um. Então não se preocupe muito com o tamanho dele. O que importa é o tipo de mensagem que você esta buscando passar nele. Qual é o gancho que ele deixa para o próximo capítulo? Qual é o ponto de vista que você utilizou para escrevê-lo?

Se você conseguiu passar a mensagem desejada em um capítulo de duas paginas. Deixe-o assim. Pode ser que mais pra frente você queira adicionar algo aqui ou ali, ou até fazê-lo parte de um outro capítulo.

 

Bom, espero que tenha ajudado alguém! Se vocês tem alguma outra idéia para destravar deixem nos comentarios abaixo 🙂

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Voltaremos com a série Diário do livro falando sobre personagens ainda por que eu não terminei… tem tanta coisa para falar a respeito das pessoas que criamos que não tá nem escrito (tá sim, e só ficar atento nas minhas postagens semanais que tá escrito sim).

Mas o foco será se seu personaguem e real ou não.

 

Escreva feliz e até semana que vem!

O benefício de um diário

thought-catalog-214785-unsplash.jpg

Tendo sua idéia validada, a hora de começar a escrever chegou.

Mas, como guardar suas criações de forma efetiva e organizada?

Hoje falaremos de como criar um diário, onde você manterá todas as informações do seu autônomo ou série. É como se você escrevesse um livro para seu livro. Vou explicar em alguns momentos.

Por que ter um diário?

Manter um diário da caracterização de personagens, locais e objetos de importância para a história, ajuda a prevenir erros futuros, assiste na formação de conteúdo da história e assim, poderás ter todas as informações num lugar só sem perder nada. ; )

Ninguém quer começar a descrever um personagem com olhos azuis e, dois capítulos depois, o mesmo tem olhos castanhos. Já aconteceu! (e ainda acontece)

Então, aqui estão as minhas dicas para dar início ao seu diário:

Lembrando que todas as dicas aqui são baseadas nas minhas experiências pessoais e pesquisas que fiz para me ajudar a escrever melhor, então se você tem uma outra forma de se organizar, deixe um comentário abaixo com a sua estratégia.

1. Crie setores

O meu diário é dividido em:

  1. Personagens (e um panorama de personagens)
  2. Linha do tempo (fabula e syuzhet)/época(detalhes importantes da época)
  3. Lugares (e suas descrições baseadas nos detalhes da época)
  4. Línguas usadas (opcional – eu inventei uma língua para minha série, por exemplo)
  5. Objetos (opcional – chaves, coisas relevantes para um certo ponto da história, descrições e imagens para ajudar na visualização e processo criativo)
  6. Entrevistas e recortes de jornal da época (Opcional – as vezes, entrevistas são necessárias para juntar informações referente a época, ou uma área do qual você não esta familiarizado, tenho também separado alguns recortes de jornal da época, para dar à minha história uma sensação de realidade)
  7. Questões a serem respondidas (opcional – as partes difíceis da história)
  8. ENREDO (uma sequência de cenas do começo ao fim)
  9. Teste de diálogos (opcional – sim as vezes fico interpretando meus personagens e guardo seus diálogos aqui)
  10. Cenas/idéias não usadas
  11. Pesquisas no geral

Por isso que daria pra escrever um livro só do meu diário.

joinha

Escolhi fazer assim, primeiro, porque pretendo lançar uma série (não sei quantos livros vão ser ainda), e segundo, para ser mais visível aos meus olhos, já que eu não sou a pessoa mais organizada do mundo. Pessoalmente acredito que organizei de uma forma que se qualquer um fosse acessar as informações do meu diário, as encontraria com facilidade. Então joínha pra mim!!!

2. Nunca delete nada que você escreveu

Não importa quão ruim seja, ele vale de experiência para ajudar você a escrever melhor, ou ainda, se criaste a descrição de um personagem que não te agradou (para a história que esta escrevendo), você pode usar em outra situação.

Pode acontecer de (na hora do processo de edição e avaliação), seu editor peça para você tirar partes importantes (até as mais queridas) por que não cabe dentro da história naquele ponto. Não fique triste, guarde-as para um momento futuro, talvez até útil para uma sequência. 

Tenha em mente a importância de uma edição profissional para sua obra (apesar da frustração que o processo as vezes traz), ela não somente vai dar clareza para sua obra, mas como também para seu leitor, ajudando até em vendas.

Tenho um setor só para isso (com sub-setores também), para guardar cada uma delas.

3. Use um aplicativo em nuvem além de um diário físico.

Meu primeiro manuscrito está escrito em inglês, assim como meu diário.

Afinal, diário é pra se andar de baixo do braço. Vai que um dia a bateria acabe ou que você trabalhe em um local que não se pode ter o celular por perto (como eu). Por isso o físico. Ou as vezes (se você for como eu), escrever com papel e caneta faz a idéia fluir melhor.

Não esqueça, de ao fim do dia, passar tudo do seu físico para a nuvem, dando assim, uma segurança de tudo estar na mesma página. Também tem o caso de se perder o diário, que, tudo bem perder o diário, não queremos perder o que tá dentro, né?

Sinque seu celular com seu computador. Assim poderás escrever onde estiver sem perder o fio da meada e recapitular informações essenciais das quais talvez poderá ter esquecido.

Eu, pessoalmente uso o OneNote. É sem dúvida fantástico. Mas tem outros como Evernote (também muito usado) Simplenote para iPhone, Google keep, que é um pouco mais simples.

Tem também softwares como Scrivener, – você pode ter no PC, no celular, tablet – seu projeto inteiro fica a disposição em todo tipo de plataforma (vou criar uma série voltada para esse software dos deuses que eu amo, amo, amo).

Num futuro post entrarei mais afundo nos setores que criei para meu diário.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Voltaremos com a Serie Diario do livro mais pra frente e falaremos semana que vem sobre Bloqueio de Escritor e como nos livrarmos dele (se é que é possível).

Validando a Sua Idéia de Livro

jan-kahanek-184675-unsplash.jpg

Olá escritores!

Um dia veio a minha cabeça uma pergunta (uma não, várias): Por que quero escrever minha série? Será que vão ler minha história? Será que essa série vai render algum lucro?

Por que não adianta somente ter vontade de escrever um livro (ou uma série, que é muito mais trabalhoso), eu tinha que ter certeza se essa idéia seria boa o suficiente para se tornar um produto de venda. Se iria valer a pena perder horas a fio em uma obra (ou várias) só por escrever, e não aparecer nem na primeira página de busca do Google quando forem buscar o tema do livro.

Então fui a busca de como validar minhas idéias. E encontrei algumas dicas interessantes que quero dividir com vocês!

O que significa “validar uma idéia” e por que isso é tão importante para mim?

Validar sua idéia, de simples modo, significa ver se há uma demanda para o tipo de gênero em que quer escrever e, se caso sua história tem o diferencial necessário para competir mano-a-mano com os outros livros do mesmo nicho.

Escrever um livro requer intensas horas de trabalho e paixão, não que isso não importe, mas será que queremos desperdiçar todo esse tesão em algo que não é bom?

Mas, como definir exatamente a palavra “bom”?

No contexto de validação da idéia, “bom” quer dizer simplesmente que existem leitores que pagariam para ler a sua história. E estes três ingredientes são essenciais para a validação de sua idéia.

  • Mercado

Vamos supor que você surgiu com um conceito de livro novo, algo que ninguém se quer ouviu falar, ou um gênero (ou até mesmo um estilo de escrita novo), imagina o risco que você corre ao lançar algo que ninguém está familiarizado. É capaz de não gerar renda nenhuma por mais inovador que seja.

Uma boa forma de saber qual é a necessidade do mercado é fazendo uma busca de palavras no Google e na Amazon, para saber o que seu consumidor está procurando.

Digite sua idéia, ou um conjunto de palavras no Google, referentes à sua idéia, para ver quais são os cinco primeiros resultados que aparecem. Se você notar que dentre essas cinco, tem algo similar ao que prentende escrever, isso quer dizer que as pessoas estão buscando por esse tipo de conteúdo.

Uma ótima ferramenta, também, é chamada de kwfinder.com . Você digita sua idéia (ou título, frase, conjunto de palavras) na área de busca e ele mostra quantas pessoas já buscaram no Google (acredito que na Amazon também), por esse determinado conjunto de palavras (com porcentagem e tudo. É bem esclarecedor), entendendo assim, onde a demanda de seu consumidor está em foco. Vale lembrar que tem a forma gratuita e paga do site.

  • Bons pagadores

Não basta só ter demanda, é necessário saber se o consumidor está apto a pagar pelo que escreveu. Com o advento da internet e a facilidade de encontrar informações gratuitas, o consumidor pode querer deixar de comprar algum texto seu por ser muito similar (sem diferencial) e estar disponível por outro autor gratuitamente.

  • Competição

Agora que você formulou uma idéia com mercado e demanda de consumidores pagantes, você tem que pensar nos competidores. Seu trabalho é acessar se, dentre outros tantos, se seu livro vai estar apto a competir ou não. Essa fase de pesquisa é importantíssima para a validação do seu livro, pois é ela quem vai determinar se sua história valera apena ser escrita ou não.

Qual é o diferencial da sua história? E será que esse diferencial sobressai aos outros do mesmo nicho? Qual técnica você pretende usar para ultrapassar seu concorrente?

Então resumindo: 1. Encontre mercado usando pesquisas de palavras; 2. Gente que pagaria pela sua história; e 3. Aprenda quem são seus concorrentes e encontre um diferencial para seu livro.

Fácil! (até parece!)

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Vamos começar uma série chamada: Diário do Livro.

Com detalhes de como organizar tudo o que você já aprendeu a respeito da sua história em setores, facilitando assim, seu processo criativo.

Inscreva-se!

Se você ainda não participa da nossa lista de email, inscreva-se e receba GRÁTIS minha planilha de esboço para te ajudar a escrever seu livro melhor e mais rapido!

Não perca essa oportunidade GRATUITA de fazer melhor com o que te faz feliz!

Escreva feliz!!! E até a próxima!

Por que escrever? Por onde começar?

Olá escritores!

Nos perguntamos, lá no fundinho, se somos realmente capazes de escrever um livro, tipo Harry Potter, e fazer dinheiro com isso.

Muitos de nós, estando com seu primeiro manuscrito na mão, ainda nos perguntamos. Realmente é uma questão “de sou ou não sou (um escritor)”.

Mas, pelo menos, você não está sozinho(a).

Em 2011 a Pollsters Report fez uma estatística que dizia que 80% dos Americanos gostariam de ser escritores. Isso são mais ou menos 200 milhões de pessoas. No mesmo ano, estatísticas dizem que foram publicados 329,259 livros nos EUA e 2.2 milhões no mundo todo, em um ano só! A google estima que são 130 milhões de livros publicados em toda a história, isso em 2011.

Imagina agora!

Estamos numa sociedade onde facilidade de publicação esta na moda, os Ebooks estão a todo vapor, e é difícil se mostrar um diferencial no meio de tantos outros renomados autores.

Tudo isso cria um peso psicológico em qualquer um, de que nunca irão conceguir ter o seu livro na mão e receber ($$$) fazendo o que se mais gosta.

Escrever

Essas estatísticas, trazem dúvidas. É muito difícil, nosso consciente nos diz. Demanda tempo, dinheiro, o que vou fazer com as crianças, sou muito velho, sou muito novo, trabalho, escola, a louça na pia. É muita coisa.

Poucos sabem, porém, que para tudo existe ORGANIZAÇÃO.

Sou mãe de uma bebezinha e consegui encontrar tempo para escrever meu livro, fazer traduções de livros do português para Inglês, cozinhar, limpar a casa… Faço yoga todo, TODO dia (se exercitar é importante também. Para manter o corpitcho). E ainda tenho tempo para meu bloguinho.

Gente ORGANIZAÇÃO! E uma pitada de sacrifício, vai. (Mas se é o que te faz feliz, como podemos chamar de sacrifício, o que deixamos de fazer para conquistar nossos sonhos?)

Aqui vou deixar algumas dicas para treinar sua mente e entrar no “fruxo” de escrever, encontrar motivação, se organizar e, é claro, escrever!

1. Pare de apertar o botão da soneca!!!

Isso vai soar como concelho de mãe, mas, pera ae, talvez seja mesmo (aliás, precisamos ouví-las mais).
Pare de dizer que você esta muito cansado, que não consegue ou de se sentir tão pesado.

Não adianta nada você depois do trabalho chegar em casa, tomar banho e se arrastar pra cama dizendo que no dia seguinte vai ser tudo diferente: vou acordar mais cedo para escrever, me organizar e assim, ser uma pessoa melhor, pra depois, na manha seguinte, quando toca o despertador, ao invés de cumprir o que prometeu na noite passada, você mal acorda e aperta o botão do cão.

Comece seu dia sem procrastinação.

2. Destrua o hábito de hesitar.

Nosso cérebro foi feito para nos proteger de situações e sensações ruins.

Exemplo: Tive uma idéia sensacional para ganhar dinheiro sem precisar sair de casa. Mas, não sei como fazer A, nem B, nem C. Quer saber? Deixa pra la! Talvez essa não seja uma idéia tão boa assim.

Ou seja, nosso cérebro está acostumado a neutralizar nossas idéias (pode até realmente não ser uma idéia muito boa, mas você só vai saber se testar), e nosso corpo com menagens negativas do tipo: não vou conseguir, não sou suficiente, não tenho tempo (e aí vem o botão do cão) e lá se vai a mudança de vida radical que você tanto queria.

HESITAÇÃO

Esse é o hábito que muitos não percebem, mas que deveríamos extinguir (é pior q roer unha essa coisa).

Quando temos uma idéia boa (ou um sonho) e paramos para pensar no que não somos capazes de fazer, ao invéz de, o que podemos aprender com isso, nosso cérebro envia pro corpo todo um tipo de anestesia geral, impedindo-o de fazer o que se é necessário para fazer essa idéia acontecer.

Não pare pra pensar no que você não sabe, pare pra pensar no que você é capaz de fazer.

Por isso, temos o próximo ponto.

3. Conte até cinco de traz pra frente.

Um estudo psicológico comprova, que o cérebro leva em torno de cinco segundos para enviar ao corpo o hormônio da hesitação, transformando seu sonho em pesadelo.

Mas, há uma diferença entre contar normal e de tráz pra frente.

spacex-530583-unsplash

Contando normal, você não se polícia em concentrar-se a contar, por ser algo natural (as vezes até de mais).

Agora, contando de traz pra frente, a concentração exigida do cérebro e maior, abafando as mensagens negativas da sua mente, inibindo o hormônio, e dando espaço ao comprometimento.

Simples assim: pense em você como um foguete a ser lançado no espaço (e pula dessa cama e comece a escrever!).

4. Escreva e leia

Voce já tem uma idéia, então escreva. De forma linear ou não. Não importa quantidade ou forma do conteúdo. Você tem que começar de algum lugar.

É importante frisar também, que você escreva no instante em que a idéia surge, pois procastinar, fará você esquecer de algum detalhe crucial.

Já escreveu? Então leia a respeito. Pesquise sobre o tema. Busque escritores que já falaram do assunto. E decida qual vai ser o seu diferencial.

Falaremos, em um futuro post, sobre escrever sem perder o fio da meada (o que sempre faço) e aumentar sua produtividade.

5. Leia e escreva.

Sim. Só troquei a ordem. Porque as duas estão muito juntas sempre. São super amigas!

Escrever implica ler mais um pouco. Hoje em dia muitos livros misturam tipos de generos – uma hora é romance, outra é suspence – então é bom dar uma lida em todos, mesmo que não goste. Eu por exemplo, não gosto muito de romance, se eu percebo isso num livro, já perco um pouco do interesse. MAAAS, tenho que ler, né. Como vou saber as características do gênero, se eu não leio?

Ler nos faz escrever melhor a respeito do que gostamos.

6. Mantenha um diário

Onde você possa escrever tudo referente ao seu livro.

Sugiro que seja em papel mesmo, para você sentir o peso da responsabilidade que você tem com seu livro por onde for. Buahahaha!
Não só por isso não. E que papel é mais dificil de se apagar e perder. Você sempre pode voltar ao bom e velho papel.

Eu tenho dois: um em papel e outro na nuvem. Cada um tem seu propósito no meu livro. Com o papel as vezes desenho coisas que não sei como fazer com o da nuvem, quando eu termino, vou la tiro foto e adiciono na nuvem. Tem como fazer, eu só não sei como. Hehe! E com a nuvem eu tenho pastas separadas com pesquisas e descrições detalhadas, sobre meus personagens, lugares e etc.

7. Agenda

Crie um calendário onde você possa detalhar as coisas das quais tem que fazer no seu dia a dia.

Mas to falando de tudo mesmo, ate o que você faz na hora do seu almoço (é incrível o quanto eu consegui fazer em 30 ou 40 minutos do meu almoço).

Só com uma agenda detalhada é que você vai conseguir ver quanto tempo dura uma tarefa e quanto tempo você realmente tem. E ele também pode ser um motivador seu.

Bom por hoje é só, e são tantas formas para se organizar e escrever! Comente abaixo o que você faz pra se motivar.

Semana que Vem!

jeshoots-com-462287-unsplash

Aprenderemos sobre validação de sua idéia de livro e o por que disso ser tão importante.

Afinal, escrever um livro requer muito esforço e tempo, não queremos desperdiçar suor em algo que não te vai render lucro.

Inscreva-se!

Se você ainda não participa da nossa lista de email, inscreva-se e receba GRÁTIS minha planilha de esboço para te ajudar a escrever seu livro melhor e mais rapido!

Não perca essa oportunidade GRATUITA de ser melhor com o que te faz feliz!

Escreva feliz!!! E até a próxima!

Minha alegria, minha conquista!

IMG-20181216-WA0021

Sejam bem-vindos ao blog Ready Set Books!!! Hoje é 4 de Março e estou contente de dizer a vocês que o blog está no ar!!! De verdade verdadeira!!!

Estou tão feliz que nem acredito… foram 3 meses de criação de conteúdo, arruma logo, arruma design, edição de texto… wow… cheguei até aqui e esta é a minha conquista!!!

Quero deixar com vocês hoje, minhas metas para os próximos 3 meses. Metas minhas e do blog também. E espero fazer uma auto-avaliação cada vez para saber como vocês estão gostando do conteúdo e avaliar em qual estágio eu vou estar com meu livro.

São essas:

  • Poder informar escritores (e os que hão de ser), a escreverem melhor e/ou a por onde começar a escrever
  • Com isso, poder melhorar minha própria escrita
  • Criar uma comunidade onde possamos ajudar uns aos outros
  • Publicar conteúdos bons toda semana
  • Poder ter pelo menos metade do meu livro escrito

São poucas as metas, mas tenho ainda muito a fazer e espero ter um feedback positivo de todos meus leitores!!!

Aguarde posts novos toda segunda! E inscreva-se na minha lista de emails para ficar antenado!

Escreva feliz!